24/08/2020

Saiba mais sobre a obra: A Revista Brasileira e a História da Divulgação da Ciência no Brasil Oitocentista

Tags: BLOG

24/08/2020 - Por: Moema Vergara

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, intensificou-se em nosso cotidiano a fala de cientistas nas mídias. Esse livro, da autora Moema Vergara, trata de um momento em que nossa comunidade científica estava se formando e que um dos principais de comunicação com o público era as revistas científico-literárias. Antes da internet,  as revistas eram locais concretos de convivência e espaços, como a Revista Brasileira, que era um lugar em que cientistas e literatos podiam conviver. Essa revista é a origem da Academia Brasileira de Letras e a tradição do chá das 5 vem de lá, servido por José Veríssimo, o editor. Por lá circulavam Machado de Assis, Graça Aranha, Araripe Jr., e cientistas como Luiz Cruls, do Observatório Nacional, João Batista Lacerda do Museu Nacional e João Barbosa Rodrigues do Jardim Botânico.

Vale a pena conhecer mais sobre esse tema tão relevante, lendo essa obra publicada pela Editora Appris.

Adquira o seu exemplar por meio do nosso site clicando aqui


 

 

Sobre o autora: Moema Vergara é historiadora com graduação e mestrado em História pela  Universidade Federal Fluminense e doutorado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2003). No mestrado pesquisou a vida de Flora Trinstan, socialista utópica francesa da primeira metade do século XIX, sob a orientação de Leandro Konder. Nesse trabalho investigou a relação entre feminismo e socialismo e os limites do socialismo científico para as questões de gênero. Em 1998, conseguiu uma bolsa de pesquisa no Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) e foi lá que descobriu o tema da divulgação da ciência no Brasil do século XIX e desenvolveu a questão em seu doutorado, sob a orientação de Marco Antonio Pamplona. O resultado está no livro A revista brasileira e a história da divulgação da ciência no Brasil oitocentista. Em 2005, fez o concurso para ser pesquisadora do MAST na área da história da ciência. Lá foi possível atuar na prática da divulgação, sendo curadora de exposições, realizando cursos sobre o tema e orientando trabalhos em iniciação científica e no mestrado e doutorado nos Programas de Pós-Graduação em História da Unirio e no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História da Ciência na UFBA.