20/11/2020

Sobre a urgência da cooperação

Tags: BLOG

20/11/2020 - Susana Iglesias Webering

A consolidação de um sistema econômico baseado na competição e a ideia dominante nas ciências de que o homem reina sobre um mundo de objetos, detentor de verdades, que se autoexclui nas suas relações e responsabilidades para com os outros e a natureza, são uma conjugação violenta, porque são predatórias e insustentáveis. Já não devemos falar apenas em termos de crises econômicas, pois existe uma crise latente que é estrutural, econômica, ambiental, política e sobre os vínculos humanos.

Agravando esse cenário, em 2020, o mundo foi surpreendido por uma pandemia que fez parar as atividades econômicas e que exigiu meses de reclusão e distanciamento social. O impensável tornou-se realidade: em questão de semanas, um sistema econômico que se pensava impossível parar foi suspenso globalmente. O que parece uma distopia tem incentivado a necessidade de se discutir a produção, o consumo local e consciente, a importância dos vínculos comunitários e da solidariedade, o futuro do trabalho e do próprio homem enquanto natureza, da qual também é parte.

Especialmente ao longo do último século, os esforços têm se voltado a como aumentar a competitividade. O resultado desse empenho próprio das organizações de mercado teve como desdobramento a exacerbação do comportamento individualista. O mundo vem dando sinais de que, ao contrário disso, é preciso reorientar nossas ações no sentido de práticas mais efetivas de cooperação, que garantam não somente a subsistência, mas, inclusive, nossa perpetuidade enquanto espécie.

Para saber mais sobre essa temática, acesse a obra Autogestão e Cooperação por meio do link: https://editoraappris.com.br/produto/4313-autogesto-e-cooperao.


 

Susana Iglesias Webering é doutora em Engenharia de Produção pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia - COPPE, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e doutora em Economia Social pelo Instituto Universitario de Investigación en Economía Social, Cooperativismo y Emprendimiento (IUDESCOOP), da Universidade de Valência (Espanha), com menção internacional (Doutorado Europeu).  Desde 2006 é docente da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.