27/04/2021

Sentidos de cidadania na argumentação de alunos bolivianos

Tags: BLOG

26/04/2021 -   Marilda Fátima Dias

A relação do sujeito com uma língua desconhecida, ou estrangeira, ocorre aparentemente sem censura, sem as obrigações que são impostas pela língua materna, pois ela se apresenta ao sujeito como uma servidão voluntária. Assim, a relação entre a língua materna e uma língua estrangeira é de confronto e de “contaminação”, tendo em vista que aprender outra língua traz perturbações, questionamentos e modificações naquilo que língua materna deixou gravado em nós. O que fica gravado no sujeito constitui sua identidade e também o identifica.
Para os estudos psicanalistas, a identidade é imaginária, colocando em ação a imagem que o sujeito faz de si mesmo por intermédio da imagem construída pelo outro e que o possibilita de se reconhecer. Compreendemos que as práticas discursivas arquitetam identidades, e um mesmo sujeito pode se inserir em diferentes posições discursivas, produzindo diferentes identidades, sendo que mesmo em meio a diferenças o sujeito se reconhece. As identidades são construídas como pontos de apoio passageiros de acordo com a posição ocupada pelo sujeito em distintas práticas discursivas.
A identidade étnica da população escolar que habita a região de fronteira de estudo é composta por descendentes de etnias que foram se misturando com os brancos espanhóis e portugueses, dando origem a uma identidade cabocla, formando um espaço de plurilinguismo, que diz respeito às línguas praticadas por sujeitos de diferentes nacionalidades e de diferentes espaços de enunciação. Esses sujeitos compuseram o corpus da pesquisa em linguística apresentada na obra.

Para mais informações, te convidamos para a leitura do livro neste link. 


Marilda Dias chegou ao estado de Mato Grosso em 1982 e prestou concurso na rede pública estadual como professora das séries iniciais. Nesse período, ministrou vários cursos de capacitação de professores e funcionários da educação; cursou a graduação em Letras pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). Sendo selecionada em concurso como professora de Língua Portuguesa para essa universidade, solicitou exoneração do outro concurso para se dedicar à pesquisa e aos trabalhos administrativos na instituição, como em cursos de formação de professores em todo estado, coordenação de departamento e da Editora da Unemat. Concluiu seu doutorado na área de Linguística pela Unicamp, com enfoque na Semântica Argumentativa e Aquisição de Linguagem, com a pesquisa que agora resulta nesta obra. Atualmente está aposentada, após 32 anos de magistério. Orcid: 0000-0001-5516-7201