30/08/2021

Você faz ideia de quantas escolhas “você” faz ao longo de um dia da sua jornada de vida?

Tags: BLOG

30/08/2021 - Por: José Eduardo Tófoli

Segundo estimativas publicadas pelo The Wall Street Journal, tomamos em média 35 mil decisões por dia, desde as escolhas mais simples, como qual roupa vestir ou o que comer no café da manhã, até as mais complexas, como qual faculdade fazer ou escolhas e decisões no âmbito profissional.

Eu fiz questão de dar destaque à palavra “você” na minha provocação inicial, abordando o que considero um importante tema, para que juntos comecemos a nos dar conta de quantas escolhas estamos realmente fazendo conscientemente.

“Você faz suas escolhas, e suas escolhas fazem você” – Gayle Forman.

 “O Poder das Escolhas” – esse é o tema do meu terceiro livro, da série “Reaprendendo a Viver”, e faço um convite a você, para juntos continuarmos a nossa jornada interior de autoconhecimento e de expansão da consciência.

Ouço muitas pessoas dizendo que somos o que comemos, outros dizendo que somos o que fazemos ou ainda que somos o que lemos, mas, verdadeiramente, faz sentido para mim que somos o resultado das escolhas que fazemos, inclusive do que escolhemos comer, fazer, como agir, o que ler e, principalmente, da forma como lidamos com as experiências negativas ao longo da nossa jornada de vida. Experiências como a frustração de não ter feito uma escolha assertiva ou congruente com seus princípios e valores.

Quantos arrependimentos você tem das escolhas que fez? Ou ainda pior, com medo das consequências, quantos arrependimentos você tem por não ter feito a escolha certa no momento que entendeu ser o melhor?

De uma coisa eu sei: se eu esperar pelo momento perfeito para tomar decisões e fazer escolhas, eu nunca as farei. Viverei uma vida trivial, permitindo que alguém tome as decisões e faça as escolhas por mim – sim, porque enquanto você não toma consciência das escolhas que faz, tem alguém mandando na sua vida.

Não se assuste, fascine-se; vou te apresentar a esse estranho que existe em você, que com certeza está no controle de grande parte do que você faz, inclusive das escolhas que faz, sem que você se dê conta disso.

Alerta: esse estranho é facilmente manipulável e facilmente influenciável... Muitos políticos, agências de publicidade e propaganda, líderes religiosos sabem disso.

Pelas estimativas dos especialistas, a consciência ocupa no máximo 5% do cérebro. Todo o resto, 95%, é o reino do inconsciente.

Ficou perplexo com essa afirmação?

Para você ter uma ideia, se você verbalizasse a resposta a minha pergunta, não precisaria selecionar conscientemente as palavras – ao pensar no que vai dizer, automaticamente surgem as palavras. Você decide o que quer falar, mas a escolha das palavras que vai usar é do seu inconsciente.

Antes de explorarmos a quantidade de escolhas que infelizmente fazemos e depois nos arrependemos, quero lembrar que muitas vezes escolhemos não fazer escolhas.

Você já se deu conta que muitas vezes você não faz escolhas ou toma decisões porque existe um mecanismo em você que, querendo o seu melhor, causa bloqueios inconscientes, impedindo que você evolua?

Para você entender um pouquinho dessa maravilhosa engenharia interior: lembra quando você era criança, quem fazia as escolhas por você? – Seus pais. E quando você queria fazer uma escolha, por mais simples que fosse, pedia permissão a eles, correto?

Você sabia que seu inconsciente é atemporal? Isso mesmo, ele não sabia que você tinha 8 anos de idade quando necessitava da aprovação dos seus pais para fazer escolhas e que hoje você tem 30 anos. Por isso você tem dificuldades em ter iniciativa, falar em público, fazer determinadas escolhas que são necessárias para sua evolução enquanto ser humano. Inconscientemente, nesse caso, pode ser que você tenha necessidade de aprovação, de permissão.

Nesse caso, faz-se necessário entender melhor a estrutura de como você funciona e como você representa as experiências de mundo, seu mapa; e para resolver essas questões, em muitos casos, é preciso dar um novo siginifcado, “ressiginifcar”.

Da mesma forma que muitas vezes somos impedidos de fazer melhores escolhas por algum tipo de bloqueio inconsciente, estamos fazendo a escolha de não fazer escolha.

Precisamos explorar melhor os mecanismos por trás desse processo.

O que te motiva a fazer as escolhas que faz? O que determina suas escolhas? Quais são os seus critérios para fazer escolhas?

Quais das suas escolhas você realmente fez? Como estar mais presente e consciente das escolhas que faz?

Quais escolhas são realmente significativas? Qual tem sido o impacto das suas escolhas conscientes na nossa vida? Que competências você necessita devolver para tomar melhores decisões?

Por meio do autoconhecimento, vamos expandir nossa consciência acerca das consequências trágicas de muitas escolhas inconscientes que estamos fazendo, para o seu Ser, para sua família, para a sociedade, para o planeta, para o universo.

Somente entendendo e compreendendo como funcionamos podemos evitar agir por impulso, no automático, como resposta a um estímulo exterior inofensivo, muitas vezes causando grandes estragos no relacionamento com a companheira, por exemplo, por ter falado coisas que não falaria se não estivesse sob forte influência de um sentimento de raiva, estresse; ou no relacionamento com um filho, destilando veneno ou projetando sombras de emoções não resolvidas em seu inconsciente e que, de uma hora para outra, são trazidas para a luz da consciência.

Faço aqui um apelo: invista em autoconhecimento, precisamos ter mais consciência do que estamos fazendo com nosso planeta, com nossas vidas e tudo o que nos cerca. Tudo o que você precisa está em você, agora. Você tem a chave que abre essa câmara secreta que contém um tesouro.

Quando vamos nos dar conta de que até podemos continuar interessados em explorar o macrocosmo, mas que, definitivamente, precisamos explorar o microcosmo – entendermos como funcionamos, estudarmos essa ferramenta maravilhosa chamada mente humana, alinharmos nossas escolhas com o programa da nossa alma, vivermos nosso verdadeiro propósito de servir e se colocar a serviço, despertar para o amor genuíno e verdadeiro que é a cura para tudo e para todos?

Acesse a obra do autor neste link


José Eduardo Tófoli (Astorga, PR, 26/8/1968) é autor dos livros O que te Impede de Viver Feliz? e Farol da Sabedoria. Vive em Florianópolis, no aconchegante bairro do Santinho, no maravilhoso estado de Santa Catarina. Considera-se um apaixonado pela vida, amante fervoroso da natureza, curioso e explorador intenso na busca de compreender como funcionamos. Um aprendiz inspirado e fascinado em aprender cada dia mais por meio do autoconhecimento e da expansão de seu nível de consciência. Formado em Administração de Empresas, fez uma honrada jornada de 35 anos nos setores bancário e varejista, atuando em várias funções, em grandes empresas nacionais, quando teve a oportunidade de viver em regiões distintas e ter a experiência de sentir e aprender muito com a imensa riqueza cultural e perceber os contrastes existentes neste imenso país. Pós-graduado pela PUC de Curitiba em Planejamento e Gerenciamento Estratégico, também fez MBA em Gestão Empresarial pela FGV de Porto Alegre e Florianópolis. Na área comportamental, fez vários treinamentos vivenciais e de formação em Master Practitioner pelo INEXH e pela Dolphin Tech, Self Coaching pelo IBC, especialização em Hipnose Clínica Internacional pelo Instituto Lucas Naves e Treinador Comportamental pelo IFT.