14/09/2021

Conheça o livro: Controvérsias da MPB na Rede: Propostas Teóricas e Métodos Digitais na Internet para Pesquisar a Sigla no Século XXI

Tags: BLOG

14/09/2021 - Laís Barros Falcão de Almeida.

Os estudos da MPB debruçam-se sobre essa categorização musical brasileira, tema já muito visitado e com ampla referência bibliográfica, e assentam a ideia de que a sigla é uma abreviação de “Música Popular Brasileira”, surgida nos anos 1960, considerada uma música urbana, mas que não é sinônimo de toda música feita por brasileiros, além de possuir características específicas que a distingue de outras expressões musicais. Esses saberes fazem parte do grande debate sobre o que de fato é MPB.

A agenda desses estudos no século XXI busca articular a MPB em contextos mais atuais, intensamente globalizados e em rede, considerando aspectos midiáticos referentes às mídias digitais e ao fenômeno das plataformas de redes sociais, nas quais nos encontramos imersos, principalmente durante a pandemia da Covid-19 — sem deixar de levar em consideração também as relações, os embates e as disputas da MPB com outras expressões musicais brasileiras.

Um dos caminhos possíveis para dar continuidade as reflexões e pesquisas sobre a MPB está na obra Controvérsias da MPB na Rede: Propostas Teóricas e Métodos Digitais na Internet para Pesquisar a Sigla no Século XXI. Trata-se da articulação das noções de rede e da controvérsia aos estudos da MPB, pois ambas dão conta do entendimento de fenômenos da cultura digital que a MPB costuma se envolver, como polêmicas e debates, que também são chamados de tretas na internet.

É uma abordagem comunicacional para pesquisar a MPB no século XXI, mediante uma cartografia digital de controvérsias musicais que foi colocada em prática com o mapeamento da Nova MPB. Uma discussão que ganhou amplitude e foi fragmentada em rede, sendo propagada em diferentes sites de organizações jornalísticas, sites de música, blogs e várias plataformas digitais, entre elas os sites de redes sociais, envolvendo opiniões e pontos de vistas diferentes, inclusive de seus ouvintes e fãs que são usuários dessas plataformas, acrescentando questões ao próprio debate sobre MPB.

Parte-se do princípio de que a música tem a vocação de provocar discussões sobre diversos assuntos no Brasil, como apontado pelos estudos de música popular. A partir disso, a MPB é considerada um objeto de pesquisa controverso, um debate público e coletivo que mobiliza questões sobre música, arte e cultura nas diferentes conjunturas sociais, políticas e econômicas que vão surgindo a nível nacional e internacional ao longo dos anos.

 

Para saber mais sobre o tema, leia o livro que se encontra disponível no site da Editora Appris.


Laís Barros Falcão de Almeida é doutora e mestra em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), graduada em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e docente da pós-graduação do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), na especialização Comunicação Digital, Webjornalismo e Novas Mídias. Autora do livro A MPB em Mudança: Cartografando a Controvérsia da Nova MPB (Editora Simplíssimo, 2017) e uma das organizadoras da publicação Circuitos Urbanos e Palcos Midiáticos: Perspectivas Culturais da Música ao Vivo (Edufal, 2017). Desenvolve pesquisas e estudos em Comunicação, Cultura, Música e Tecnologia, envolvendo principalmente: Teoria das Redes, Estudos Culturais, Música Popular, Gêneros Musicais, Controvérsias, Mídias Sociais, Jornalismo Cultural, MPB e Nova MPB.