13/04/2020

Pesquisadores de Belo Horizonte e Brasília lançam livro sobre a transição analógico-digital da TV brasileira, no momento que governo federal autoriza o uso de multiprogramação

Tags: BLOG

09/04/2020 

Com a recente liberação do uso de multiprogramação digital  para as emissoras de televisão para oferecer conteúdo educativo sobre o COVID-19, a TV Digital volta discretamente à pauta, lembrando seus aspectos negligenciados: as melhorias sobre o sistema analógico. A multiprogramação (o uso do mesmo canal para múltiplas programações) e a interatividade são alguns deles, mas que estão sendo subutilizados, como se somente a melhoria da imagem e do som fosse o que de melhor a TV Digital tivesse a oferecer.

Incomodados com isso desde o início da implantação da TV Digital, um grupo de pesquisadores de Brasília e Belo Horizonte se dedicou a mergulhar no justo momento onde as diferenças entre a TV analógica e a TV Digital mais teriam oportunidade de se manifestarem: durante as semanas que antecederam e sucederam o desligamento de um sinal e a ativação do outro. O livro TV Digital no Brasil: a transição analógico-digital em Brasília e Belo Horizonte está sendo lançado agora em abril. A obra se voltou para a experiência cotidiana de diversos segmentos sociais, como estudantes, trabalhadores, donas de casa, surdos, educadores infantis, famílias carentes, quando na transição para a TV Digital. O objetivo foi entender o que mudou (ou não) com a transição tecnológica, uma vez que a televisão continua sendo um dos meios de comunicação mais enraizados na cultura brasileira, além de acessível a praticamente toda a população.

A coletânea de artigos, organizada pelos professores Cláudio Magalhães e Cláudia Chaves Fonseca, conta com contribuições de especialistas em estudos de televisão, como Cosette Castro, Alexandre Kieling, Adriano Adoryan e Paschoal Neto, e pesquisadores do Distrito Federal e de Minas Gerais.

A obra discute e critica os recursos da TV Digital que ainda podem ser implementados, com o exemplo da multiprogramação, mas também a interatividade, o envio de dados e a inclusão digital, com exemplos do que já foi feito e do que ainda pode-se fazer. O livro é lançado no momento que, para atender às necessidades de informação durante a pandemia do Covid-a19, o Poder Executivo liberou, por meio de Decreto no dia 04 de abril, a multiprogramação. Este recurso permite a um mesmo canal transmitir de quatro a mais faixas de programação simultaneamente. Durante 12 meses, conteúdos de saúde, educação, ciência e tecnologia estarão disponíveis por meio de uma parceria entre as emissoras, a União, os estados e os municípios.

TV Digital no Brasil: a transição analógico-digital em Brasília e Belo Horizonte está sendo lançado no formato impresso e e-book e pode ser encontrado nas livrarias virtuais e no site da Editora Appris. A publicação é uma realização do Núcleo de Estudos da Realidade Digital – NERD e da ABTU – Associação Brasileira de Televisão Universitária.

Contato: Prof. Cláudio Magalhães – (31) 99922.4362 – claudiomagalhaes@uol.com.br