Formação de Professores para a Alfabetização de Alunos com Deficiência

Ref: 978-85-473-1007-3

Formação de professores para a alfabetização de alunos com deficiência analisa a formação proposta pelo Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), programa que tem como meta a alfabetização de todas as crianças brasileiras até os oito anos de idade, visando conhecer e compreender as relações que se estabelecem entre o que é previsto nos documentos oficiais e o que é vivenciado na formação cotidiana, no que tange à orientação da prática alfabetizadora com alunos com deficiência.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00 R$ 36,80 21% off
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 46,00 R$ 21,00 55% off

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-1007-3


ISBN Digital: 978-65-5523-668-2


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 16/04/2018


Número de páginas: 161


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Elci Schroeder Lucachinski.

2. Celso Francisco Tondin.

Formação de professores para a alfabetização de alunos com deficiência analisa a formação proposta pelo Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), programa que tem como meta a alfabetização de todas as crianças brasileiras até os oito anos de idade, visando conhecer e compreender as relações que se estabelecem entre o que é previsto nos documentos oficiais e o que é vivenciado na formação cotidiana, no que tange à orientação da prática alfabetizadora com alunos com deficiência. Por seu caráter inédito, esta leitura instiga professores e gestores das políticas educacionais a discutirem o programa na perspectiva das suas contribuições para a redução das desigualdades escolares e sociais. Aponta também para a formação integralmente orientada dos professores, tendo como base a teoria histórico-cultural como possibilidade de redimensionar a prática pedagógica do professor alfabetizador em direção à inclusão escolar de todos os alunos.