Religião-Política: Construção da Memória de Dom Adriano Hypólito

Ref: 978-85-473-0301-3

Religião-Política: construção da memória de Dom Adriano Hypólito analisa a interdependência entre fé e política nas ações e nos discursos do Terceiro Bispo de Nova Iguaçu, Dom Adriano Hypólito, em consonância com a mobilização do laicato da Diocese de Nova Iguaçu, no contexto da Ditadura Civil-Militar.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 58,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 20,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-0301-3


ISBN Digital: 978-85-473-0301-3


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 211


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Alexander de Souza Gomes.

Religião-Política: construção da memória de Dom Adriano Hypólito analisa a interdependência entre fé e política nas ações e nos discursos do Terceiro Bispo de Nova Iguaçu, Dom Adriano Hypólito, em consonância com a mobilização do laicato da Diocese de Nova Iguaçu, no contexto da Ditadura Civil-Militar.

A pesquisa torna patente a linha de ação pastoral da diocese, no bispado de Dom Adriano (1966-1995), utilizando os discursos por ele proferidos nos jornais litúrgicos A Folha, no Boletim Diocesano e em entrevistas concedidas por leigos e religiosos que conviveram com o bispo, sobretudo no período em que a diocese foi alvo de retaliações no âmbito da ditadura.

Os pronunciamentos do bispo, suas concepções político-religiosas, os estudos realizados por teóricos ligados ou não à Igreja Católica e as entrevistas concedidas por professores, religiosos e membros do laicato de Nova Iguaçu permitiram compreender as mudanças que tiveram lugar no interior da Igreja, momento em que recrudesce uma nova teologia que se contrapõe à exploração dos menos favorecidos e que se coloca a favor da luta pela dignidade humana contra as arbitrariedades impostas pela ditadura: a Teologia da Libertação.