Secas no Alto Rio São Francisco

Ref: 978-85-8192-945-3

Marcus Suassuna Santos lança em SECAS NO ALTO RIO SÃO FRANCISCO algumas luzes sobre temas de enorme atualidade e relevância: secas, suas mudanças de comportamento ao longo do tempo e os possíveis preditores de sua ocorrência, como eventos climáticos em macroescala, a exemplo das oscilações de temperatura do Oceano Pacífico (oscilação Niño e Oscilação Decenal do Pacífico).


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 27,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-8192-945-3


ISBN Digital: 978-85-8192-945-3


Edição: 1


Ano da edição: 2016


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 205


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Marcus Suassuna Santos.

Marcus Suassuna Santos lança em SECAS NO ALTO RIO SÃO FRANCISCO algumas luzes sobre temas de enorme atualidade e relevância: secas, suas mudanças de comportamento ao longo do tempo e os possíveis preditores de sua ocorrência, como eventos climáticos em macroescala, a exemplo das oscilações de temperatura do Oceano Pacífico (oscilação Niño e Oscilação Decenal do Pacífico). Com base em uma caracterização objetiva de secas estatisticamente mais robusta que a versão original do índice de precipitação normalizado (standardized precipitation index – SPI), a qual muito pode contribuir com a implantação de políticas públicas voltadas para sua gestão, buscou-se uma forma de avaliar como a ocorrência de secas pode modificar ao longo do tempo, tanto em termos de variação de frequência quanto de intensidade. Para isso, utilizou-se a transformada de ondaletas (wavelet transform). Espera-se com este trabalho menos estabelecer uma metodologia definitiva para análise temporal de secas do que colocar em pauta a premente necessidade de avaliar de modo estatisticamente consistente se de fato secas estão sendo cada vez mais frequentes e intensas, bem como se é possível elencar elementos que possibilitem sua previsão. Suassuna Santos acredita que, em um mundo em constante mudança, o uso de abordagens que admitam as não estacionariedades em séries temporais associadas e eventos climáticos seja de extrema relevância.