Educação e Língua Pomerana: Experiências de (Re)Afirmação Cultural

Ref: 978-85-473-0730-1

Este livro discute o processo de criação e implementação de um programa de educação bilíngue desenvolvido por professores pomeranos em Santa Maria de Jetibá-ES. As experiências das comunidades pomeranas em terras capixabas provocam nossa reflexão sobre modos sociais de produção e ressignificação dos saberes entre sujeitos de diferentes segmentos populares, como camponeses, quilombolas e indígenas, constituindo-se em desafio que aos poucos começa a ser enfrentado pelos pesquisadores dessa universidade, especialmente por esse grupo de pesquisa


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0730-1


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 26/06/2018


Número de páginas: 155


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Adriana Vieira Guedes Hartuwig.

Este livro discute o processo de criação e implementação de um programa de educação bilíngue desenvolvido por professores pomeranos em Santa Maria de Jetibá-ES. As experiências das comunidades pomeranas em terras capixabas provocam nossa reflexão sobre modos sociais de produção e ressignificação dos saberes entre sujeitos de diferentes segmentos populares, como camponeses, quilombolas e indígenas, constituindo-se em desafio que aos poucos começa a ser enfrentado pelos pesquisadores dessa universidade, especialmente por esse grupo de pesquisa. Professores pesquisadores estão instigando a geração de novos aportes teóricos e metodológicos de compreensão do mundo, que consideram práxis e saberes dessas gentes. Reconhecer os processos culturais de socialização vividos por esses sujeitos necessita do debate e da pesquisa no campo da educação, a partir de contextos socioculturais próprios, a fim de potencializar práticas coletivas transformadoras de relações sociais que deles emergem.

 Acreditamos que estudos dessa natureza estimulam a pesquisa e o registro das práticas a partir das experiências vividas, além de serem capazes de indicar para uma perspectiva intercultural questionadora que pergunta pelos ensinamentos que devem ser apreendidos para o fortalecimento de lutas que contribuem para a construção de uma nova sociedade e de uma escola pública que respeite as diferenças.

 Grupo de pesquisa

“Culturas, Parcerias e Educação”