Entremeios: Ensaios sobre Literatura, Cinema e Comunicação

Ref: 978-85-473-1632-7

O desafio crítico proposto por Analice Martins, no livro Entremeios: ensaios sobre Literatura, Cinema e Comunicação, vai muito além da superficial polarização entre local e global, e a sua proposta interpretativa parece-me bem mais arriscada e estimulante: interpretar a contemporaneidade literária brasileira como um objeto complexo, que remexe nos escombros do projeto de modernização do Brasil, um país que em 50 anos passou de uma sociedade agrária para uma sociedade pós-industrial, a partir dos não lugares que esse brutal processo transformou em palcos de tensões, em (não) lugares de passagem suspensos entre arcaicidade e modernidade.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 23,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-1632-7


ISBN Digital: 978-85-473-1899-4


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 27/07/2018


Número de páginas: 171


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Analice Martins.

O desafio crítico proposto por Analice Martins, no livro Entremeios: ensaios sobre Literatura, Cinema e Comunicação, vai muito além da superficial polarização entre local e global, e a sua proposta interpretativa parece-me bem mais arriscada e estimulante: interpretar a contemporaneidade literária brasileira como um objeto complexo, que remexe nos escombros do projeto de modernização do Brasil, um país que em 50 anos passou de uma sociedade agrária para uma sociedade pós-industrial, a partir dos não lugares que esse brutal processo transformou em palcos de tensões, em (não) lugares de passagem suspensos entre arcaicidade e modernidade.

Além dos ensaios sobre Literatura, há outros interessantíssimos que se debruçam sobre o Cinema internacional e sobre as obras mais representativas de alguns cineastas – Loach, Frears, Burman – que, nesses últimos anos, têm mostrado de uma maneira problematizadora a questão das diferenças culturais e as estratégias de resistência das minorias em um mundo só autoritariamente globalizado. Mas é na seção “Conexões” que a autora sai da sala de cinema para entrar na sala de aula e encarar uma série de problemas nevrálgicos de caráter pedagógico que nenhum docente de Literatura do século XXI pode ignorar, sem correr o risco de desistir dos benefícios dos Estudos Culturais, de desperdiçar o diálogo enriquecedor com outras linguagens artísticas ou de menosprezar as práticas literárias não canônicas da contemporaneidade que mais dizem respeito aos alunos de hoje.

Professor doutor Giorgio de Marchis

Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas

Estrangeiras da Università degli Studi Roma Tre