Avaliação da Aprendizagem nas Representações de Professores Indígenas

Ref: 978-85-473-1753-9

Esta obra analisa representações contidas em manifestações de professores indígenas do município de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, a respeito da avaliação da aprendizagem, procurando identificar as que exploravam determinados caminhos de transformação do fenômeno e aquelas que os bloqueavam, destacando as que propunham caminhos para a escola indígena – que se quer diferenciada – cumprir melhor o seu papel.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 72,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 32,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-1753-9


ISBN Digital: 978-85-473-2046-1


Edição: 1


Ano da edição: 2018


Data de publicação: 27/08/2018


Número de páginas: 215


Encadernação: Brochura


Peso: 200 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Josiani Mendes Silva.

Esta obra analisa representações contidas em manifestações de professores indígenas do município de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, a respeito da avaliação da aprendizagem, procurando identificar as que exploravam determinados caminhos de transformação do fenômeno e aquelas que os bloqueavam, destacando as que propunham caminhos para a escola indígena – que se quer diferenciada – cumprir melhor o seu papel. Para o movimento indígena, a escola só se torna indígena quando conta com a participação efetiva da sua comunidade, portanto tudo é decidido de comum acordo com a comunidade. No cotidiano do espaço escolar, adota-se a estratégia de gerência de uma escola como comunidade, ou seja, uma gestão que busca seguir o modelo de vida das comunidades. O ambiente é aberto a espaços de debate, nos quas se se resolve em conjunto qualquer problema encontrado no seu dia a dia, em assembleia geral. Os resultados de todo o processo avaliativo são utilizados para dar início a esse movimento, ou seja, a partir das notas, ou conceitos obtidos pelos alunos, o professor apresenta para a comunidade os resultados de cada aluno em uma assembleia; a comunidade discute os resultados e sugere ideias relacionadas aos alunos e também aos professores. Suas representações estão alicerçadas em uma avaliação com base no diálogo e na busca de soluções para problemas relacionados aos alunos e aos professores, o que sugere que ela pode ser vista como uma estratégia didática – criada e utilizada de acordo com o tipo de projeto pedagógico que eles têm –, pois, à medida que o professor analisa o desenvolvimento de seus alunos ou de grupos de alunos, procura subsidiar o planejamento de suas intervenções.

Com base na análise das manifestações produzidas pelos professores indígenas, foi possível destacar o núcleo central das representações das razões para avaliar, qual seja, o de acompanhar o desenvolvimento do aluno, com vistas a melhorar sua aprendizagem e, com isso, viabilizar o projeto de educação escolar indígena, o qual está comprometido com o projeto de vida da comunidade.