Operações Conjuntas: Desafios à Integração no Nível Operacional

Ref: 978-85-537-0031-8

A guerra consiste no domínio da prática; porém, é impossível abrir mão da teoria, como argumenta Marcus Vinícius Piffer. O ser humano já pensava estrategicamente bem antes que a moderna disciplina da Estratégia tivesse seu arcabouço intelectual estabelecido.Da mesma maneira, desde a Antiguidade Clássica, as campanhas militares apresentavam dificuldades cujas soluções eram buscadas em ações práticas, prescindindo de um conjunto de elementos teóricos que orientassem a tomada de decisões. O Pensamento Militar, por decorrência, aprimora-se justamente em função de longa tradição do estudo dos seus precedentes. Foi o conflito que gerou a teoria, não o inverso. Mesmo a doutrina aparentemente mais inovadora, como aquela empregada pelos alemães em 1939-41, trouxe em seu bojo o cuidadoso estudo das lições dos anos de 1917-18.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-537-0031-8


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 23/05/2019


Número de páginas: 161


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Marcus Vinícius Pinheiro Dutra Piffer.

A guerra consiste no domínio da prática; porém, é impossível abrir mão da teoria, como argumenta Marcus Vinícius Piffer. O ser humano já pensava estrategicamente bem antes que a moderna disciplina da Estratégia tivesse seu arcabouço intelectual estabelecido.
Da mesma maneira, desde a Antiguidade Clássica, as campanhas militares apresentavam dificuldades cujas soluções eram buscadas em ações práticas, prescindindo de um conjunto de elementos teóricos que orientassem a tomada de decisões. O Pensamento Militar, por decorrência, aprimora-se justamente em função de longa tradição do estudo dos seus precedentes. Foi o conflito que gerou a teoria, não o inverso. Mesmo a doutrina aparentemente mais inovadora, como aquela empregada pelos alemães em 1939-41, trouxe em seu bojo o cuidadoso estudo das lições dos anos de 1917-18.
A combinação das ferramentas oferecidas pela História Militar (que embute em si o estudo da Estratégia e do Pensamento Militar) não implica capacidade de enunciar previsões a respeito do futuro. Sua riqueza encontra-se nas possibilidades que traz para a interpretação dos contextos estratégicos, da essência das adversidades enfrentadas e, sobretudo, da identificação das próprias limitações. Esta última sempre foi um dos maiores desafios enfrentados ao longo das guerras.
E é neste sentido que se investe de grande interesse a noção de lições aprendidas. Tradicionalmente vista com suspeição pelos acadêmicos, a ideia de Lições da História é aqui revelada em sua validade para o Pensamento Militar. Piffer esclarece esse dilema de forma competente, vastamente amparado em fontes e no debate contemporâneo sobre os conflitos.