Solo, Sementes, Frutos: Reflexões sobre a Participação e o Controle Social da Educação do Campo

Ref: 978-85-473-2916-7

O livro Solo, sementes, frutos: reflexões sobre a participação e o controle social da Educação do Campo problematiza sobre a participação e o controle social nas/das políticas públicas à luz do envolvimento dos movimentos sociais e sindicais e das instâncias de participação e controle social na luta pela construção e efetivação de uma política pública de Educação no e do Campo. A obra apresenta uma discussão sobre: a) as configurações do Estado e das políticas públicas na contemporaneidade; b) a política educacional brasileira e o histórico vínculo desta com a reprodução do capital; c) a Educação no e do Campo em tempo de neoliberalismo, fazendo uma rica análise sobre as intencionalidades e perspectivas da participação e do controle social na/da Educação no e do Campo, enfatizando as possibilidades, contradições e desafios presentes nesses processos. Por seu conteúdo e pelo protagonismo dos sujeitos políticos que fazem a Educação no e do Campo em seu processo de construção — movimentos sociais e sindicais; professores/as de universidades públicas; educadores/as e educandos/as dos programas e projetos de Educação no e do Campo e das escolas do campo e membros de fóruns e comitês de Educação no e do Campo —, o presente livro é uma excelente fonte de estudo e pesquisa para todos/as que estudam, pesquisam, defendem e lutam pela construção e consolidação da Política Pública de Educação no e do Campo — professores/as, estudantes, pesquisadores/as e militantes de movimentos sociais e sindicais —, concebida como uma ferramenta que além de possibilitar o acesso à educação e ao conhecimento socialmente produzido, tem compromisso com o enfrentamento e a superação das expressões da questão agrária e com a construção de novos sujeitos políticos do campo, sujeitos comprometidos com a construção de outro projeto de campo e de sociedade para além do capital.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 78,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 27,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-2916-7


ISBN Digital: 978-65-5523-766-5


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 23/05/2019


Número de páginas: 415


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Magaly Nunes de Gois.

O livro Solo, sementes, frutos: reflexões sobre a participação e o controle social da Educação do Campo problematiza sobre a participação e o controle social nas/das políticas públicas à luz do envolvimento dos movimentos sociais e sindicais e das instâncias de participação e controle social na luta pela construção e efetivação de uma política pública de Educação no e do Campo. A obra apresenta uma discussão sobre: a) as configurações do Estado e das políticas públicas na contemporaneidade; b) a política educacional brasileira e o histórico vínculo desta com a reprodução do capital; c) a Educação no e do Campo em tempo de neoliberalismo, fazendo uma rica análise sobre as intencionalidades e perspectivas da participação e do controle social na/da Educação no e do Campo, enfatizando as possibilidades, contradições e desafios presentes nesses processos. Por seu conteúdo e pelo protagonismo dos sujeitos políticos que fazem a Educação no e do Campo em seu processo de construção — movimentos sociais e sindicais; professores/as de universidades públicas; educadores/as e educandos/as dos programas e projetos de Educação no e do Campo e das escolas do campo e membros de fóruns e comitês de Educação no e do Campo —, o presente livro é uma excelente fonte de estudo e pesquisa para todos/as que estudam, pesquisam, defendem e lutam pela construção e consolidação da Política Pública de Educação no e do Campo — professores/as, estudantes, pesquisadores/as e militantes de movimentos sociais e sindicais —, concebida como uma ferramenta que além de possibilitar o acesso à educação e ao conhecimento socialmente produzido, tem compromisso com o enfrentamento e a superação das expressões da questão agrária e com a construção de novos sujeitos políticos do campo, sujeitos comprometidos com a construção de outro projeto de campo e de sociedade para além do capital.