Trabalho Artesanal e Autenticidade do Ser: Um Percurso em Martin Heidegger

Ref: 978-85-473-4036-0

Mãos Solidárias é um grupo de mulheres que se reúnem semanalmente para a realização de trabalhos artesanais como costura, bordado, crochê, pintura, entre outros. Os artigos produzidos por elas são vendidos e a renda obtida é doada a entidades assistenciais. Esta obra encontra em Martin Heidegger um referencial teórico para compreender o contexto de socialização e trabalho das voluntárias do grupo. A investigação do tema recebe contribuições de diversos campos do saber, buscando as interfaces entre Filosofia, Educação, Psicologia e História da Cultura. O modo de aproximação do tema é a fenomenologia que, em Heidegger, encontra o seu sentido mais radical na hermenêutica da facticidade. As questões de gênero perpassam a reflexão sobre a precedência ôntica e ontológica da questão-do-ser. Nossa proposição central identifica o grupo Mãos Solidárias como espaço facilitador à abertura do ser e ao desvelamento de si-mesmo das mulheres que ali se reúnem. Enquanto trabalham comunitariamente, operando a transformação dos objetos materiais, as voluntárias transformam a si mesmas e apropriam-se de um modo de ser mais autêntico.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 19,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-4036-0


ISBN Digital: 978-85-473-4037-7


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 29/11/2019


Número de páginas: 141


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Débora Inácia Ribeiro.

Mãos Solidárias é um grupo de mulheres que se reúnem semanalmente para a realização de trabalhos artesanais como costura, bordado, crochê, pintura, entre outros. Os artigos produzidos por elas são vendidos e a renda obtida é doada a entidades assistenciais. Esta obra encontra em Martin Heidegger um referencial teórico para compreender o contexto de socialização e trabalho das voluntárias do grupo. A investigação do tema recebe contribuições de diversos campos do saber, buscando as interfaces entre Filosofia, Educação, Psicologia e História da Cultura. O modo de aproximação do tema é a fenomenologia que, em Heidegger, encontra o seu sentido mais radical na hermenêutica da facticidade. As questões de gênero perpassam a reflexão sobre a precedência ôntica e ontológica da questão-do-ser. Nossa proposição central identifica o grupo Mãos Solidárias como espaço facilitador à abertura do ser e ao desvelamento de si-mesmo das mulheres que ali se reúnem. Enquanto trabalham comunitariamente, operando a transformação dos objetos materiais, as voluntárias transformam a si mesmas e apropriam-se de um modo de ser mais autêntico.