Mulheres Criminosas na Mídia: Deslizamentos de Fronteiras

Ref: 978-85-473-3928-9

A invisibilidade do debate sobre o envolvimento de mulheres na criminalidade sob o olhar da mídia é produzida, em grande medida, porque o feminino está socialmente associado a noções de docilidade, fragilidade e passividade, o que implica que mulheres sejam comumente consideradas inábeis e/ou incapazes de cometer crimes.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 18,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-3928-9


ISBN Digital: 978-85-473-3929-6


Edição:


Ano da edição: 2019


Data de publicação: 29/01/2020


Número de páginas: 177


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Flávia Fernandes de Carvalhães.

A invisibilidade do debate sobre o envolvimento de mulheres na criminalidade sob o olhar da mídia é produzida, em grande medida, porque o feminino está socialmente associado a noções de docilidade, fragilidade e passividade, o que implica que mulheres sejam comumente consideradas inábeis e/ou incapazes de cometer crimes. Contudo a velocidade das mudanças que se articulam na atualidade supera, muitas vezes, nossa capacidade de compreensão, pois faz circular informações que articulam e desestabilizam prerrogativas tradicionais de gênero, como notícias que de modo cada vez mais frequente emergem na mídia e anunciam modos plurais de envolvimento de mulheres em crimes.
Tendo em vista que a sociedade atual está intensamente atravessada pelos discursos midiáticos e por composições subjetivas e sociais que se desenham na “confusão de fronteiras” entre realidade e ficção, organismo e tecnologia, esta obra analisa, mais especificamente, maneiras como mulheres criminosas são descritas nos jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e O Globo, na revista Veja e em diferentes sites policiais.