Fenomenologia e Psicologia Fenomenológica em Sartre: Arqueologia dos Conceitos

Ref: 978-85-473-4334-7

A passagem da fenomenologia à psicologia fenomenológica na obra do filósofo francês Jean-Paul Sartre é objeto de investigação do pesquisador Gustavo Fujiwara. Para essa lida, Fujiwara analisa conceitos presentes em La transcendance de l’Ego (1937), Esquisse d’une théorie des émotions (1938), L’Imagination (1936) e L’Imaginaire (1940).


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 68,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-4334-7


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 03/02/2020


Número de páginas: 335


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Gustavo Fujiwara.

A passagem da fenomenologia à psicologia fenomenológica na obra do filósofo francês Jean-Paul Sartre é objeto de investigação do pesquisador Gustavo Fujiwara. Para essa lida, Fujiwara analisa conceitos presentes em La transcendance de l’Ego (1937), Esquisse d’une théorie des émotions (1938), L’Imagination (1936) e L’Imaginaire (1940). Da primeira obra fenomenológica, restitui-se o corolário fundamental da consciência: a intencionalidade. Em Esquisse, quando das análises acerca da consciência emotiva, identificam-se as possíveis diferenças teóricas em relação ao opúsculo dos anos 1934. Já nas duas obras seguintes, a questão da hylé da imagem mental sinaliza uma profunda análise acerca da consciência imaginante. O itinerário do livro, iniciando-se na consciência perceptiva, passando pela consciência emotiva e chegando à consciência imaginativa, identifica então, em termos eminentemente fenomenológicos, o que significa afirmar que a intencionalidade é, pari passu, a liberdade radical da consciência. Haveria, nesses termos, lugar para uma passividade nos quadros da fenomenologia sartreana?