Território e Educação: Desconstruindo a Invisibilidade dos Sujeitos do Campo

Ref: 978-85-473-3094-1

O livro Território e educação: desconstruindo a invisibilidade dos sujeitos do campo discute as possibilidades de desconstrução do processo simbólico da inferioridade e invisibilidade dos sujeitos do campo, a partir da atuação destes em mecanismos de exercício democrático, que culminam em práticas escolares e não escolares de valorização e afirmação de suas especificidades e particularidades.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 18,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-3094-1


ISBN Digital: 978-65-5523-059-8


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 18/03/2020


Número de páginas: 231


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Simone Cabral Marinho dos Santos.

O livro Território e educação: desconstruindo a invisibilidade dos sujeitos do campo discute as possibilidades de desconstrução do processo simbólico da inferioridade e invisibilidade dos sujeitos do campo, a partir da atuação destes em mecanismos de exercício democrático, que culminam em práticas escolares e não escolares de valorização e afirmação de suas especificidades e particularidades. Discute ainda como o fortalecimento e a organização social no campo têm alcançado níveis de participação capazes de contribuir para o reconhecimento dos sujeitos do campo, mediante a abertura à negociação de interesses heterogêneos e resistência às formas hegemônicas de educação. Com traços marcantes de uma escuta sensível e olhar observador que caracterizam a prática do cientista social, a autora defende uma perspectiva de educação destinada aos sujeitos do campo, pautada na superação da condição de invisibilidade social a que eles estão submetidos, por meio de uma postura de reconhecimento social que se firma no exercício da democracia participativa e na reparação de desigualdades sociais.