Atividades Lúdicas em Hospitais Pediátricos

Ref: 978-85-473-4661-4

O ambiente hospitalar, hostil e indiferente, não é propício ao desenvolvimento infantil, representa uma realidade a qual a criança resiste em se adaptar.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 18,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-85-473-4661-4


ISBN Digital: 978-65-86034-64-6


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 20/04/2020


Número de páginas: 121


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Antônio José Araújo Lima.

2. Thelma Helena Costa Chahini.

O ambiente hospitalar, hostil e indiferente, não é propício ao desenvolvimento infantil, representa uma realidade a qual a criança resiste em se adaptar. Nesse sentido, o atendimento lúdico contribui para tornar a permanência no hospital mais fácil, favorecendo o desenvolvimento da criança e, em certos casos, a própria cura. O sentimento de finitude da vida aflige a criança, a família e os que a acompanham no hospital, durante a internação.
O medo iminente de morte e a saudade do lar dificultam o relacionamento com enfermeiros, médicos, psicólogos, fisioterapeutas e demais profissionais da área da saúde, portanto, esta obra aborda questões relacionadas à hospitalização infantil e proporciona conhecimentos e reflexões acerca da relevância do lúdico no contexto hospitalar; da humanização no atendimento à criança hospitalizada; do processo de resiliência; e da importância da brinquedoteca hospitalar.
São discutidos neste livro os seguintes tópicos: o lúdico no contexto hospitalar; o processo de enfrentamento da doença e a resiliência como mecanismo de resistência; a hospitalização e seus impactos na vida da criança, levando-se em conta a importância da humanização no acolhimento à criança enferma; os riscos associados ao brincar no hospital; a equipe multidisciplinar de saúde e as atividades lúdicas desenvolvidas em hospitais públicos pediátricos.