Gozo Estético na Cultura Visual: Fotografia, Memória e Alienação Social

Ref: 978-65-5523-423-7

O livro Gozo estético na cultura visual: fotografia, memória e alienação social faz uma reflexão transdisciplinar sobre a contribuição da fotografia para a sociabilidade contemporânea e o quanto isso influi na formação de uma memória social. É analisada a constituição da cultura visual e os seus dispositivos de controle intersubjetivo, dentro do campo da indústria cultural, trazendo este último conceito para o contexto contemporâneo.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 20,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5523-423-7


ISBN Digital: 978-65-5523-433-6


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 26/06/2020


Número de páginas: 121


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Sergio Luiz Pereira da Silva.

O livro Gozo estético na cultura visual: fotografia, memória e alienação social faz uma reflexão transdisciplinar sobre a contribuição da fotografia para a sociabilidade contemporânea e o quanto isso influi na formação de uma memória social. É analisada a constituição da cultura visual e os seus dispositivos de controle intersubjetivo, dentro do campo da indústria cultural, trazendo este último conceito para o contexto contemporâneo. Argumenta-se que a busca frenética por uma imagem com finalidade estética, a partir da relação objetiva/subjetiva dos sujeitos, vem incidindo de modo massivo sobre as formas do “ver” e do “memorizar” nos dias atuais. Busca-se compreender as fronteiras epistemológicas e metodol&o acut e;g icas entre memória e fotografia, a partir da reflexão da cultura visual e sua relação com os novos processos de reificação e alienação social. Ao mesmo tempo que são problematizadas essas questões, procura-se romper essas fronteiras disciplinares entre fotografia e memória, criando interseções temáticas com questões contemporâneas que abordam os estudos sobre estéticas e ontologia dentro da cultura visual. O que é comum a todas essas questões elencadas é o fato de que o ato fotográfico é constitutivo de memória, de cultura e de ação social do olhar dos indivíduos, atrelados aos processos de experiências testemunhais sobre o real e sobre o imaginário. O autor acredita que a fotografia, do ponto de vista crítico, pode acionar consciências políticas dos sujeitos na es fera p&u acute; ;blica e provocar mudanças sociais e novos construtos políticos mediante um ativismo visual proativo. Com base nessa questão, pretende-se refletir sobre o processo de coisificação da imagem fotográfica tecnodigital e da consciência social sobre ela. Procura-se entender a fotografia como construto da própria realidade, considerando aqui o poder que a fotografia tem de acionar a imaginação visual sobre a realidade. Com isso, a obra busca despertar uma crítica na reflexão sobre a cultura visual, e o quanto esse tipo de cultura pode ajudar a entender os novos processos de memória social e de alienação social dentro desse contexto cultural de hipervisualidades. Esta obra pretende ajudar o leitor a refletir sobre a cultura visual de forma mais ampla e os seus desdobramentos transdisciplinares.