Lições sobre a África: Colonialismo e Racismo nas Representações sobre a África e os Africanos nos Manuais Escolares de História em Portugal (1990-2005)

Ref: 978-65-5523-424-4

A investigação histórica, da qual o presente livro é um dos resultados, foi realizada entre os anos de 2003 e 2007. Sua intenção inicial era mapear e analisar as representações produzidas sobre a África e os africanos no imaginário social, nos discursos científicos e nos manuais escolares de História em Portugal nas últimas décadas.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 84,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 29,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5523-424-4


ISBN Digital: 978-65-5523-436-7


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 24/07/2020


Número de páginas: 324


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Anderson Ribeiro Oliva .

A investigação histórica, da qual o presente livro é um dos resultados, foi realizada entre os anos de 2003 e 2007. Sua intenção inicial era mapear e analisar as representações produzidas sobre a África e os africanos no imaginário social, nos discursos científicos e nos manuais escolares de História em Portugal nas últimas décadas. A partir de um contexto que deveria espelhar pensamentos e práticas pós-coloniais, víamos que uma parte dos portugueses estava presa às raízes vigorosas que os conectavam aos tempos e memórias coloniais e às práticas e ideias racistas e intolerantes. Os cenários descritos e analisados nesta obra acabaram por revelar um quadro de representações marcado pelos estereótipos e pela força da colonização das mentes, do colonialismo histórico e do racismo estrutural. O mais inquietante foi comprovar que essas imagens não ficaram restritas às visões sobre a África veiculadas na comunicação social, por exemplo. As narrativas históricas apresentadas em dezenas de manuais escolares do 3º ciclo do Ensino básico, entre 1990 e 2005, também refletiam e alimentavam as representações e os discursos negativos e estereotipados. O quadro encontrado exige de historiadores, educadores e da sociedade portuguesa uma profunda revisão dos seus textos escolares e de suas leituras sobre aquele continente e suas histórias.