Memórias Escolares de Travestis: Narrativas de um “Não Lugar”

Ref: 978-65-5523-861-7

Nesta obra, Bruno do Prado Alexandre convida o leitor a enveredar pelas memórias escolares das travestis, desnudando uma realidade em que os “meninos diferentes” causam estranheza e, por isso, não encontram, no interior da escola, espaços e tempos que acolham seus corpos “fora de lugar”.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00 R$ 34,30 31% off
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 49,00 R$ 22,00 56% off

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5523-861-7


ISBN Digital: 978-65-5523-856-3


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 28/09/2020


Número de páginas: 179


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Bruno do Prado Alexandre .

Nesta obra, Bruno do Prado Alexandre convida o leitor a enveredar pelas memórias escolares das travestis, desnudando uma realidade em que os “meninos diferentes” causam estranheza e, por isso, não encontram, no interior da escola, espaços e tempos que acolham seus corpos “fora de lugar”. Para essas crianças, o único reconhecimento é o rótulo de “viadinho”. Destas páginas, emerge a voz de uma infância relegada a um não lugar, apartada do direito à sala de aula, ao banheiro, exiladas do convívio nos intervalos e no recreio, da prática de esportes. Memórias carregadas de conflitos e dores, mas também de muita resistência e luta, em que aprenderam a escapar de abusos e agressões, a criar formas de driblar o preconceito. Emerge, também, a voz – o grito! – de um autor que não se cala diante dessa realidade, que se eleva em defesa da visibilidade social, do direito à vida e à dignidade. É com sensibilidade e ética que Bruno põe em discussão o papel da escola no enfrentamento dessas questões que não cessam de nela existir. Memórias escolares de travestis: narrativas de um “não lugar” é, portanto, um convite ao diálogo e à reflexão sobre corpos, gêneros e sexualidades no contexto escolar.