Retórica e Direitos Humanos

Ref: 978-65-5523-023-9

A proposta de refletir sobre os direitos humanos a partir da revalorização da retórica contemporânea lança uma nova luz sobre o tema, deslocando a legitimidade desses direitos menos para problemas de imposição e de fundamentação, como em geral se pensa, e mais para a questão quase esquecida do dever de persuasão permanente de todos os concernidos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 19,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5523-023-9


ISBN Digital: 978-65-5523-025-3


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 30/09/2020


Número de páginas: 175


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Narbal de Marsillac Fontes.

A proposta de refletir sobre os direitos humanos a partir da revalorização da retórica contemporânea lança uma nova luz sobre o tema, deslocando a legitimidade desses direitos menos para problemas de imposição e de fundamentação, como em geral se pensa, e mais para a questão quase esquecida do dever de persuasão permanente de todos os concernidos. Isso em geral se dá porque, usando a famosa expressão de Mann, habituamo-nos ao hábito de sermos indiferentes à diferença cultural e, em nossa ânsia por uma única gramática da dignidade humana, incluímos subalternamente a outridade do outro, qualificando-a, muitas vezes, como superstição e crendice. O que exige das pessoas que se interessam em promover esses direitos, inclusive de instituições nacionais e internacionais, a obrigação de adaptação retórica às premissas daqueles e daquelas a quem são dirigidos esses discursos. E só assim, poderemos ver protegida, num planeta multicultural, dialógico e pacífico, aquela mesma dignidade de forma mais justa, respeitosa e inclusiva.