Da Diáspora Individual ao Retorno Redentor: Trajetória de Ifemelu em Americanah de Chimamanda Ngozi Adichie

Ref: 978-65-5523-341-4

No presente livro me propus a analisar como, no romance Americanah (2013), o sujeito mulher negra imigrante se identifica socialmente no intercurso entre culturas, ou seja, nas fronteiras entre duas nações, Nigéria e Estados Unidos, construindo e reconstruindo a si mesma, a partir do contato com seus costumes, práticas sociais e códigos linguísticos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5523-341-4


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 23/10/2020


Número de páginas: 101


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Ana Claudia Oliveira Neri Alves.


No presente livro me propus a analisar como, no romance Americanah (2013), o sujeito mulher negra imigrante se identifica socialmente no intercurso entre culturas, ou seja, nas fronteiras entre duas nações, Nigéria e Estados Unidos, construindo e reconstruindo a si mesma, a partir do contato com seus costumes, práticas sociais e códigos linguísticos.

Inicialmente apresento um panorama histórico acerca do contexto pós-colonial africano, com atenção especial aos movimentos de descolonização e independência na Nigéria, bem como um quadro teórico básico centrado nos conceitos de crítica feminista pós-colonial e literatura de autoria feminina em África. Uma vez que a especificidade das literaturas em língua inglesa produzidas nos diferentes países da África anglófona gera a necessidade de se constituírem novas perspectivas críticas, também, para os acadêmicos brasileiros.

Em seguida, apresento a autora de Americanah, Chimamanda Ngozi Adichie, buscando discutir a sua posição no contexto da produção nigeriana. Ofereço também um breve histórico da literatura nigeriana em língua inglesa, pontuando o desenvolvimento das temáticas de cada “geração literária” até a contemporaneidade. Apresento aqui também um breve histórico da literatura nigeriana em língua inglesa, pontuando o desenvolvimento das temáticas de cada “geração literária” até a contemporaneidade. Em paralelo, ainda nesse capítulo, exibo um apanhado da bibliografia de Adichie, destacando as temáticas abordadas por ela em cada uma de suas obras publicadas até 2019.

Por fim, concluo esta obra discutindo o romance Americanah (2013), ponderando como ocorre o processo migratório das personagens e de que maneira acontecem os questionamentos e subversões acerca dos discursos hegemônicos sobre as identidades dos sujeitos, as quais se alteram, e como se dão esses deslocamentos identitários e culturais. Os caminhos teóricos que embasaram as análises foram escolhidos pensando em desconstruir ideias de subalternidade na literatura nigeriana, observadas, em boa parte, nos países em que as personagens viveram: Estados Unidos, Inglaterra e Nigéria. Objetivamos, portanto, investigar como se apresenta a voz imigrante feminina sob o enfoque da identidade diante da subalternidade e da descolonização.