As Diferenças em Comum: Deleuze, Marx e o Agora

Ref: 978-65-5523-362-9

As Diferenças em Comum traz ao leitor uma pesquisa sem precedentes sobre as relações filosóficas e políticas entre Karl Marx e Gilles Deleuze, desde um compêndio minucioso das referências, interações e citações sobre o pensador de Trier presentes em toda a produção publicada por Deleuze, sozinho ou em parceria com Guattari, até a investigação de como conceitos fulcrais do pensamento marxiano constituem, de fato, os pilares ocultos sobre os quais o rico instrumental da Filosofia da Diferença se assenta.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 78,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 35,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5523-362-9


ISBN Digital: 978-65-5523-360-5


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 27/10/2020


Número de páginas: 247


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 21 cm


Comprimento: 27 cm


Altura: 2 cm


1. Benito Eduardo Maeso.

As Diferenças em Comum traz ao leitor uma pesquisa sem precedentes sobre as relações filosóficas e políticas entre Karl Marx e Gilles Deleuze, desde um compêndio minucioso das referências, interações e citações sobre o pensador de Trier presentes em toda a produção publicada por Deleuze, sozinho ou em parceria com Guattari, até a investigação de como conceitos fulcrais do pensamento marxiano constituem, de fato, os pilares ocultos sobre os quais o rico instrumental da Filosofia da Diferença se assenta.
Mas, além desse mergulho na teia de sustentação da filosofia contemporânea do século XX – e apoiando-se nesse movimento para o próximo passo – a obra volta um olhar atento sobre o tempo presente e as relações entre neoliberalismo, tecnologia e subjetividade, buscando, a partir das ideias dos autores, respostas para questões mais do que necessárias nos tempos atuais: é possível resgatar o sentido da vida em comum e o poder da multiplicidade de pensamentos e ações em um mundo onde a individualidade e a diferença viraram mercadorias? Ainda é possível uma práxis emancipadora de indivíduos, minorias e povos? Há como olhar para o abismo contemporâneo sem ser tragado por ele?