Família e Saúde Mental: O Funcionamento da Subjetividade no Processo do Cuidado

Ref: 978-65-5820-344-5

O livro Família e saúde mental: o funcionamento da subjetividade no processo do cuidado tem como proposta gerar inteligibilidade sobre as dinâmicas familiares como sistema subjetivo complexo nas relações de cuidado, simultaneamente, nos níveis individual e social.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 17,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-344-5


ISBN Digital: 978-65-5820-338-4


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 21/10/2020


Número de páginas: 173


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Gilvan Vieira Lima.


O livro Família e saúde mental: o funcionamento da subjetividade no processo do cuidado tem como proposta gerar inteligibilidade sobre as dinâmicas familiares como sistema subjetivo complexo nas relações de cuidado, simultaneamente, nos níveis individual e social. O tema da saúde mental é amplo e complexo, pois se vincula à transversalidade de saberes, envolvendo indivíduos e sociedades que expressam manifestações religiosas, ideológicas, éticas e morais. Nos últimos 30 anos, o Brasil avançou em políticas públicas, progredindo na promoção de uma atenção à saúde mental mais humanizada, como os Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Nesse processo, a família ganhou protagonismo e passou a ser considerada central no cuidado da pessoa em sofrimento, recaindo à relação familiar uma frequente sobrecarga emocional, que, muitas vezes, é expressa pela exaustão de seus membros e por quadros de ansiedade e esgotamento físico e psicológico. Nesse contexto, o intuito desta obra foi compreender os processos subjetivos de usuários de um Caps do Distrito Federal e de seus familiares, relacionados ao cuidado. Enquanto referenciais centrais, foram utilizados a unidade elaborada por González Rey entre Teoria da Subjetividade em uma abordagem histórico-cultural, Epistemologia Qualitativa e metodologia construtivo-interpretativa. O livro é resultado de trabalhos de campo que envolveram o acompanhamento, durante um ano, de um Caps, mais especificamente, de uma oficina terapêutica denominada Grupo de Família e das assembleias do serviço – espaços nos quais participam familiares e usuários. Ainda se abrangeu um estudo de caso com um familiar, com encontros na sua residência e cenários construídos para esse propósito. As evidências mostraram que as configurações subjetivas do cuidado são caracterizadas por conflitos e tensões, que possibilitam tanto a intensificação de processos de sofrimento como novos processos de subjetivação orientados à abertura de novos posicionamentos individuais e sociais. A compreensão desse processo contraditório e singular possui importância central na gênese de estratégias de apoio especializado, proporcionando experiências mobilizadoras de sentidos subjetivos nos serviços de atenção à saúde mental. Assim, no aprofundamento dos processos subjetivos apresentados na obra, foi possível perceber a geração de inteligibilidade sobre processos de cuidado que podem servir como base de sustentação para projetos e estratégias favorecedores de desenvolvimento subjetivo.