Musicalizando com a Flauta Doce: Um Método Dinâmico e Divertido

Ref: 978-65-5820-489-3

A aprendizagem musical representa uma das mais significativas ações que colaboram para o desenvolvimento das crianças. Constitui forma particular de experienciar uma dádiva divina – a música.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 38,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5820-489-3


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 28/10/2020


Número de páginas: 95


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 21 cm


Comprimento: 14.8 cm


Altura: 2 cm


1. Márlon Souza Vieira .

A aprendizagem musical representa uma das mais significativas ações que colaboram para o desenvolvimento das crianças. Constitui forma particular de experienciar uma dádiva divina – a música. Mas você deve estar se perguntando: o que há de tão especial nesse método? Bem, algumas hipóteses se apresentam como possíveis respostas:
1) No âmbito do ensino de música, no contexto das igrejas evangélicas, o ensino normalmente é realizado no modelo tradicional, ou seja, inicia-se com os símbolos musicais e é direcionado ao contexto teórico. Esse método, inicialmente, ajusta-se a esse caminho.
2) O uso da notação silábica, antes da notação musical convencionada, estimula a percepção e concentra as atenções ao funcionamento do instrumento, neste caso, a flauta.
3) O acompanhamento por instrumento harmônico, conferido na execução de cadências, enquanto os alunos executam a mesma nota, reflete no entendimento de noção de música e, ao mesmo tempo, os alunos não percebem que estão repetindo o mesmo som, ou seja, a atividade não se torna cansativa.
4) A escolha de um repertório conhecido pelos alunos e seus responsáveis representa a possibilidade de “louvar” com o instrumento.
5) A possibilidade do ensino coletivo impulsiona a aprendizagem, pois um “coleguinha” vai ajudando ao outro e, assim, promove uma saudável “disputa” – após passada a lição, os alunos querem mostrar entre eles quem “toca melhor” a lição de casa.
6) Após os três primeiros meses, já é possível uma apresentação coletiva – ação que incentiva a continuidade dos estudos.
7) Ao final do método, o aluno terá experimentado os principais conceitos musicais: ouvir, perceber, tocar, cantar, criar, sentir, expressar, ou seja, experimentar música.
8) Por fim, trata-se de um método mediador: uma “ponte” de passagem para um instrumento musical típico das bandas e orquestras e, igualmente, para um aprendizado musical mais sólido.