Entre Maresias e Correntezas: as Rotas de Alunos Ribeirinhos na Amazônia pelo Direito à Educação

Ref: 978-65-5820-140-3

Entre maresias e correntezas: as rotas de alunos ribeirinhos na Amazônia pelo direito à educação é uma obra que oportuniza aos leitores uma reflexão sobre os condicionantes educacionais das populações marajoaras.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 68,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5820-140-3


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 06/11/2020


Número de páginas: 309


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Eraldo Souza do Carmo .

Entre maresias e correntezas: as rotas de alunos ribeirinhos na Amazônia pelo direito à educação é uma obra que oportuniza aos leitores uma reflexão sobre os condicionantes educacionais das populações marajoaras. É uma obra que busca evidenciar as implicações da política de nucleação de escolas do campo no direito educacional de alunos ribeirinhos no município de Curralinho. Este livro situa a política de nucleação que se reflete no fechamento de escolas, principalmente das classes multisseriadas, e a emblemática implementação do transporte escolar ribeirinho. A obra convida o leitor a ampliar os olhares sobre as especificidades educacionais das populações do campo da Amazônia. Desafia a pensar a educação enquanto direito social em meio a tantas adversidades, desde como as populações se organizam em seus territórios que são determinantes para definir as políticas educacionais a esses sujeitos. É o que se reflete nas escolas do campo de Curralinho, em que todas estão situadas em comunidades ribeirinhas, logo, o acesso dos alunos dá-se exclusivamente por meio de transporte fluvial, seja de canoa ou embarcações motorizadas. Assim sendo, é natural que as maresias e correntezas façam parte da vida diárias dos alunos para chegarem à escola. É uma jornada que pela manhã começa ainda de madrugada, em que alguns alunos utilizam até três meios de transporte para chegarem a ela. São os condicionantes que são impostos às populações do campo para que o direito à educação seja garantido. É uma oportunidade para se problematizar as estratégias, como é caso da nucleação, que os governos municipais têm utilizado para a oferta educacional às populações do campo, porém fundamentando-se sobre a lógica da racionalidade técnico-financeira. Portanto, esta obra oportuniza compreender as circunstâncias em que se deram a implementação da nucleação no município de Curralinho, os impasses, os conflitos, o acesso, a permanência, as condições estruturais das escolas e em que nível essa política elevou a qualidade da educação das populações do campo.