Rádios Comunitárias no Brasil: Resistências, Lutas e Desafios

Ref: 978-65-5820-482-4

A partir dos anos 1990, as rádios comunitárias se tornaram um dos principais movimentos pela democratização da comunicação no Brasil. A “reforma agrária no ar” enfrenta o monopólio da fala e da luta pela pluralidade de vozes.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 55,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5820-482-4


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 193


Encadernação: Brochura


Peso: 100 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Ismar Capistrano Costa Filho .

A partir dos anos 1990, as rádios comunitárias se tornaram um dos principais movimentos pela democratização da comunicação no Brasil. A “reforma agrária no ar” enfrenta o monopólio da fala e da luta pela pluralidade de vozes. As emissoras, em frequência modulada ou sistema de alto-falantes, resistem a diversas perseguições dos empresários da comunicação, da Anatel, do Judiciário e da Polícia Federal. O reconhecimento legal, por meio da Lei n. 9.612/98, paradoxalmente, marginaliza as rádios comunitárias, que sofrem com uma série de restrições e estão submetidas a processos de autorizações que privilegiam grupos políticos partidários e religiosos. No entanto, neste contexto apresentado no livro, algumas emissoras resistem e contribuem com a construção da participação social e da democratização da mídia.