Transcanção: The Doors em Análise, Tradução e Performance

Ref: 978-85-473-2813-9

O que se deve privilegiar, ou, dito de outra forma, o que salta aos ouvidos (ou mesmo aos olhos, se pensarmos em termos audiovisuais) na interpretação de uma canção: sua letra, sua música, ou o encontro de ambas (que funda outra linguagem, como acrescentaria Luiz Tatit)? E em que posição colocar a performance, nesse caso, e como pensá-la? E, a partir disso, como pensar a canção como um todo? E a questão da autoria? Essas e outras problemáticas são pontos que devem ser cuidadosamente analisados quando o assunto é versão de canções, quer dizer, quando o assunto é a tradução de canções que se destinam a serem cantadas e que implicam, portanto, alguma performance em seu trajeto.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 58,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-2813-9


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 27/11/2020


Número de páginas: 199


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Fernando Villatore.

O que se deve privilegiar, ou, dito de outra forma, o que salta aos ouvidos (ou mesmo aos olhos, se pensarmos em termos audiovisuais) na interpretação de uma canção: sua letra, sua música, ou o encontro de ambas (que funda outra linguagem, como acrescentaria Luiz Tatit)? E em que posição colocar a performance, nesse caso, e como pensá-la? E, a partir disso, como pensar a canção como um todo? E a questão da autoria? Essas e outras problemáticas são pontos que devem ser cuidadosamente analisados quando o assunto é versão de canções, quer dizer, quando o assunto é a tradução de canções que se destinam a serem cantadas e que implicam, portanto, alguma performance em seu trajeto. Mais do que a resposta para as indagações iniciais, o que Transcanção: The Doors em análise, tradução e performance se propõe a fazer são as próprias perguntas, analisando-as sob diversos pontos de vista e pondo-as à prova mediante o exercício mesmo da performance das traduções. Por meio da versão de seis canções da banda estadunidense The Doors, traduzidas, rearranjadas, performadas e disponibilizadas em áudio digital para os leitores, sempre acompanhadas de análise crítica e comentários sobre a história de cada peça, canção a canção, o que este livro pretende, afinal – através de desse “transformar-se”, desse “passar ou estar além” que já no título se insinua –, é testar as fronteiras que possam supostamente separar ou unir literatura e música, poesia ou letra de música em seus percursos (traduzir letra de música é como traduzir poemas?), tendo sempre em vista a singularidade de cada peça musical. Transcanção é, portanto, um livro para aqueles que, a partir de qualquer que venha a ser a abordagem, têm interesse seja na área de música ou na área de estudos literários, seja no campo da tradução ou dos estudos da canção, sejam eles músicos ou letristas/poetas, profissionais ou iniciados, iniciantes ou apenas interessados.