Berço de Civilidade: Rituais Formativos no Grupo Escolar de Igarapé-Miri, Pará (1904-1942)

Ref: 978-65-5820-797-9

Ambientado no interior da Amazônia, o Grupo Escolar de Igarapé-Miri, no estado do Pará, representou a continuação do projeto pedagógico republicano para alfabetizar e civilizar os futuros cidadãos dessa região.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00 R$ 36,40 30% off
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 52,00 R$ 23,00 56% off

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-797-9


ISBN Digital: 978-65-5820-788-7


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 03/12/2020


Número de páginas: 259


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Marinaldo Pantoja Pinheiro.

2. Maria do Perpétuo Socorro Gomes de Souza Avelino de França.

Ambientado no interior da Amazônia, o Grupo Escolar de Igarapé-Miri, no estado do Pará, representou a continuação do projeto pedagógico republicano para alfabetizar e civilizar os futuros cidadãos dessa região. Tal projeto foi implementado a partir da ritualização do cotidiano escolar, onde crianças e adolescentes, na sua maioria oriundas de famílias pobres, eram educadas e instruídas por meio da repetição de rituais, controladores de corpos e formadores das almas, cujo objetivo final era forjar o modelo de cidadão idealizado pela república brasileira. A saga dessa Instituição Educativa apresenta as idas e vindas de um projeto que nessa localidade ribeirinha foi instalado em 1904, desativado em 1912 e reativado em 1937 até o fechamento do ciclo dos grupos escolares no Brasil em 1971. Passou por quatro casas alugadas, até finalmente em 1949 ser instalado em prédio próprio. Foi um projeto que contou com a contribuição de inúmeros sujeitos escolares, que até então estavam silenciados. A partir de uma pesquisa minuciosa, muitos sujeitos foram visibilizados e suas vozes ecoam nas páginas deste livro.