Pesquisa-ação, Empoderamento de Ativistas LGBTI+ e Controle Social no SUS

Ref: 978-65-5820-868-6

Levando em conta que desde a Constituição Federal de 1988 todos os brasileiros e brasileiras, e também pessoas em território brasileiro, têm direito à atenção integral em saúde, em tempo adequado, sempre prestando a atenção às demandas específicas de sua condição; e levando em consideração os esforços realizados em gestões progressistas no âmbito do governo federal em implementar a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde LGBT como forma de combater as iniquidades em saúde sofridas por essa população, este livro, fruto de uma pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais (Unochapecó), tem a pretensão de contribuir na construção de estratégias participativas à comunidade LGBTI+ para a garantia de direitos no âmbito do SUS, por meio do exercício legítimo de controle social. 


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5820-868-6


Edição: 1


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 125


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 23 cm


Comprimento: 16 cm


Altura: 2 cm


1. Lucas Guerra da Silva.

Levando em conta que desde a Constituição Federal de 1988 todos os brasileiros e brasileiras, e também pessoas em território brasileiro, têm direito à atenção integral em saúde, em tempo adequado, sempre prestando a atenção às demandas específicas de sua condição; e levando em consideração os esforços realizados em gestões progressistas no âmbito do governo federal em implementar a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde LGBT como forma de combater as iniquidades em saúde sofridas por essa população, este livro, fruto de uma pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais (Unochapecó), tem a pretensão de contribuir na construção de estratégias participativas à comunidade LGBTI+ para a garantia de direitos no âmbito do SUS, por meio do exercício legítimo de controle social. A pesquisa-ação é protagonista da estratégia apresentada, como recurso metodológico que envolve a participação plural de pesquisadores e pesquisadoras da própria comunidade, e que, portanto, extrapola a academia. Aqui é apresentado de modo crítico a experiência de uma pesquisa-ação realizada com a comunidade LGBT em Chapecó (SC), revelando suas potências e também como se desenharam seus limites. A pesquisa contou com diversas parcerias entre entidades,  instituições e órgãos de gestão, incluindo os departamentos de ISTs, HIV e Hepatites Virais, e de Apoio à Gestão Participativa do Ministério da Saúde da gestão da Presidenta Dilma Rousseff, e o Conselho Municipal de Saúde de Chapecó.