Formação de Professores Primários e Identidade Nacional: Moçambique em Tempos de Mudança

Ref: 978-65-5820-837-2

Após a independência de Moçambique (1975), trabalhei durante cinco anos no Ministério da Educação e Cultura, como responsável pela formação inicial e em exercício dos professores do ensino primário.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00 R$ 49,60 20% off
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 62,00 R$ 27,00 57% off

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-837-2


ISBN Digital: 978-65-5820-817-4


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 08/02/2021


Número de páginas: 337


Encadernação: Brochura


Peso: 120 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. José de Sousa Miguel Lopes.

Após a independência de Moçambique (1975), trabalhei durante cinco anos no Ministério da Educação e Cultura, como responsável pela formação inicial e em exercício dos professores do ensino primário. Em 1979, fui diretor provincial de Educação e Cultura de Maputo (província que englobava a capital do país), durante cinco anos. Nesse período, intensificou-se a guerra em Moçambique: primeiro mediante a agressão do regime racista da Rodésia do Sul e, depois, por meio de ações armadas do regime sul-africano do apartheid. Num contexto de guerra, aprofundou a realidade do meu país e realizei visitas de trabalho a alguns países estrangeiros na África e na Europa. Posteriormente, voltei a trabalhar no Ministério da Educação, dirigindo a Direção Nacional de Formação de Quadros da Educação durante cinco anos[1]. Em decorrência dessa trajetória, tornou-se premente a problemática da formação e do papel dos professores primários como impulsionadores fundamentais da construção da identidade nacional. A formação que tratarei neste livro é a formação inicial de professores realizada nos centros de formação professores primários nos primeiros 10 anos de independência de Moçambique (1975-1984). É essa vertente que desempenhará significativo relevo nos ajustes que o partido e o Estado moçambicano vão procurar realizar no sentido de, em face da diversidade cultural, dinamizar a construção da moçambicanidade. Neste livro, o leitor encontrará a filosofia que orientou o programa do Estado moçambicano tanto em nível de políticas globais de educação como em nível do currículo. Para além de uma ampla análise bibliográfica, foram estudados exaustivamente inúmeros documentos oficiais e documentos de tipo técnico, entre outros. Foi realizado um levantamento do maior número possível de livros e artigos em língua inglesa, francesa, espanhola e portuguesa, nas bibliotecas de universidades moçambicanas, brasileiras e portuguesas. Trabalharam-se as dimensões históricas, políticas, econômicas e sociais, no sentido de verificar como elas interagiram com o sistema educativo.

[1] No total de 15 anos em que trabalhei no Ministério da Educação, a ministra de Educação foi Graça Machel, esposa do 1º presidente da República, Samora Machel, que viria a ser assinado pelo regime do apartheid em 1986. Em 1998, Graça Machel casou-se com o líder sul-africano Nelson Mandela.