Intruso entre Intrusos, Eutro: Arnaldo Antunes

Ref: 978-65-5820-718-4

“Mesmo no silêncio e com o silêncio/dialogamos”, os versos do poema “Constante diálogo”, de Carlos Drummond de Andrade, são uma porta entreaberta para o incentivo à leitura deste livro de Glauber Mizumoto que deseja mediar novas leituras de poesia.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 46,00 R$ 32,20 30% off
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 46,00 R$ 20,00 57% off

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-5820-718-4


ISBN Digital: 978-65-5820-725-2


Edição:


Ano da edição: 2020


Data de publicação: 15/02/2021


Número de páginas: 139


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Glauber Mizumoto.

“Mesmo no silêncio e com o silêncio/dialogamos”, os versos do poema “Constante diálogo”, de Carlos Drummond de Andrade, são uma porta entreaberta para o incentivo à leitura deste livro de Glauber Mizumoto que deseja mediar novas leituras de poesia. Ao se debruçar sobre o livro n.d.a, do poeta e músico Arnaldo Antunes, a sensível leitura do pesquisador dialoga com silêncios e espaços em branco que compõem a poética metalinguística e lírica do autor. Mizumoto demonstra como pensar no silêncio, os não ditos, os (inter)ditos desses poemas para encontrar na ponta da recepção o conceito de eutro que ele aprofunda, desdobra, em perfeita consonância com o eu e o outro do poeta, do leitor e do mundo, desvelando o diálogo em silêncio das palavras em estado de re-dicionário, prática do poeta que investiga sentidos dicionarizados ou não das palavras, numa fruição inventiva e renovadora da poesia contemporânea.
Músico também e praticante de meditação, Glauber Mizumoto tem bom ouvido e clarividência para buscar na poética concisa e cirúrgica de Antunes, o diálogo que lhe permite o avanço nos espaços meio abertos, meio fechados, da leitura de poesia. Ao propor uma leitura da palavra-conceito eutro em finas recriações de sentidos que ultrapassaram o poema de onde ele a extraiu, o autor deste livro propõe não só um entendimento afetivo para a poesia de Arnaldo Antunes, mas uma possibilidade de releitura que se estende em exercícios parapoéticos dos leitores, cada um, auxiliado pelos poetas e por outros leitores, a ser coautor da poesia de sua própria existência.