Bibliotecas Infantis Mexicanas e Brasileiras: O que Arquitetaram Gabriela Mistral e Cecília Meireles

Ref: 978-85-473-0546-8

Na obra Bibliotecas infantis mexicanas e brasileiras: o que arquitetaram Gabriela Mistral e Cecília Meireles?, a autora Rosângela Veiga Júlio Ferreira contempla seus leitores com um trabalho de fôlego, no qual, a partir de uma ampla incursão a fontes históricas, explora aspectos da atuação das intelectuais Gabriela Mistral, poetisa chilena, e da brasileira Cecília Meireles, nos projetos de educação popular do México e do Brasil, nas décadas de 1920 e 1930. 


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0546-8


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 319


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Rosângela Veiga Júlio Ferreira.

Na obra Bibliotecas infantis mexicanas e brasileiras: o que arquitetaram Gabriela Mistral e Cecília Meireles?, a autora Rosângela Veiga Júlio Ferreira contempla seus leitores com um trabalho de fôlego, no qual, a partir de uma ampla incursão a fontes históricas, explora aspectos da atuação das intelectuais Gabriela Mistral, poetisa chilena, e da brasileira Cecília Meireles, nos projetos de educação popular do México e do Brasil, nas décadas de 1920 e 1930. Em seu texto, que privilegia diálogos travados entre as intelectuais por meio de cartas, crônicas, artigos de jornais e revistas, a autora nos apresenta a atualidade do pensamento das escritoras, especialmente no que concerne à concepção de infância e de sujeito leitor que fundamenta e impulsiona a atuação de ambas na esfera pública. Destaca-se, nessa atuação, a defesa da produção e a difusão de uma literatura infantil que primasse por qualidades estéticas e que dialogasse com os interesses do público infantil. Tal defesa faz-se com base em uma concepção de infância que afirma a potência da criança e seu protagonismo na produção cultural, o que evidencia a atualidade do pensamento das intelectuais. Ao abordar o papel do livro, da literatura e das bibliotecas na defesa pela educação popular, a obra em tela nos oferece elementos importantes para o enfrentamento dos desafios que se colocam, na contemporaneidade, às políticas de educação da infância e de formação de leitores.

 

Hilda Micarello