Para Além da Reforma Psiquiátrica: Saúde Mental e Fenômeno de Rua nos Campos Gerais (PR)

Ref: 978-65-250-0170-8

O livro Para além da reforma psiquiátrica: Saúde Mental e Fenômeno de Rua nos Campos Gerais (PR) compreende uma discussão que envolve a reflexão sobre a loucura, objeto que foi tratado historicamente pela repressão, que não obstante se limita à loucura, mas às pessoas em condições de vulnerabilidade socioeconômica, por vezes em situação de rua, pois a sociedade, geralmente, utiliza a exclusão social para a higienizar.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 62,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-0170-8


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 19/04/2021


Número de páginas: 183


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Fernanda Pimentel Santos.

O livro Para além da reforma psiquiátrica: Saúde Mental e Fenômeno de Rua nos Campos Gerais (PR) compreende uma discussão que envolve a reflexão sobre a loucura, objeto que foi tratado historicamente pela repressão, que não obstante se limita à loucura, mas às pessoas em condições de vulnerabilidade socioeconômica, por vezes em situação de rua, pois a sociedade, geralmente, utiliza a exclusão social para a higienizar. O andarilho, o mendigo, o excluído historicamente pela condição de extrema pobreza, partilha da segregação realizada pela saúde mental durante os anos em que foi reprimido pelo tratamento asilar vitalício. No Brasil, após uma extensa história desigual, marcada pela exclusão social de uma parcela da população em condição de pobreza e adoecida psiquicamente, foram legisladas políticas de reintegração social. Entretanto, o louco e o pobre ainda vivenciam a exclusão social, que não ocorre mais pelo enclausuramento em instituições asilares de forma vitalícia, mas é reafirmada pela marginalidade do louco e do pobre. A invisibilidade que as pessoas adoecidas psiquicamente e em situação de vulnerabilidade socioeconômica vivenciam, na atualidade, ocorre de forma histórica. O que contrapõem o acesso aos direitos como cidadãos, resultando na exclusão social de uma parcela da população adoecida e em condição de pobreza, mantendo-os à margem da sociedade. Diante de tal cenário social, a obra em questão busca analisar, a partir do discurso institucional, a relação tríade entre o agravamento do adoecimento psíquico, a condição de pobreza e a situação de rua de pessoas que são atendidas pelas instituições governamentais e não governamentais em um município no interior do estado do Paraná. A análise torna evidente que as minorias ainda são minorias, com políticas públicas latentes, submetidas à pobreza, ao adoecimento psíquico, por vezes a situação de rua agravando-se a cada movimento, a cada ação higienista da sociedade como um todo.