Tornar-se Policial: O Processo de Construção da Identidade Profissional do Policial nas Academias de Polícia

Ref: 978-65-5820-894-5

A contribuição principal deste livro reside em colocar em foco o processo de construção da identidade profissional realizado nas academias de Polícia – Civil e Militar – do Rio de Janeiro, em dois momentos principais da última década – 2002 e 2012 –, considerando-se os currículos dos cursos de formação profissional básica do futuro policial, como também a visão dominante de policiais diretamente envolvidos com a formação profissional – aqui denominados a “elite profissionalizada” da polícia – sobre a atividade policial – papel, funções e lugar no Estado e na sociedade brasileira contemporâneos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 68,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-5820-894-5


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 20/05/2021


Número de páginas: 393


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Paula Poncioni.

A contribuição principal deste livro reside em colocar em foco o processo de construção da identidade profissional realizado nas academias de Polícia – Civil e Militar – do Rio de Janeiro, em dois momentos principais da última década – 2002 e 2012 –, considerando-se os currículos dos cursos de formação profissional básica do futuro policial, como também a visão dominante de policiais diretamente envolvidos com a formação profissional – aqui denominados a “elite profissionalizada” da polícia – sobre a atividade policial – papel, funções e lugar no Estado e na sociedade brasileira contemporâneos. Procurou-se, também, captar as expectativas, exigências e dilemas existentes na formação profissional do futuro policial, por intermédio da análise dos currículos e dos discursos desse segmento ocupacional específico acerca da profissão policial em face das proposições emanadas ao longo do período pelos programas de âmbito federal e estadual para a chamada “educação policial”, no que tange especialmente a perspectiva de incrementar o profissionalismo da polícia, baseado nos moldes de uma segurança pública democrática. Nesta direção, uma questão fundamental se colocou para a reflexão sobre o processo de construção da identidade profissional do policial para lidar com os problemas de segurança pública no período estudado: ocorreram mudança e mobilidade para o grupo ocupacional em direção a uma melhor profissionalização, com mudanças substanciais na aquisição de competências e habilidades requeridas com vistas ao desempenho eficiente e eficaz das ações policiais cotidianas para atender as exigências para a manutenção da ordem e para aplicação da lei, alinhadas a um profissionalismo de “tipo novo”? Essa questão se desdobra em outras que são relevantes e dizem respeito aos múltiplos aspectos decorrentes da complexidade nela envolvida, a saber: qual é a identidade profissional do policial engendrada pela formação profissional oferecida pelas academias de polícia? Quais fatores – dentro e fora das academias de polícia – influenciam a “moldagem” dessa identidade profissional? Qual o poder formativo da “elite profissionalizada” da polícia dentro da polícia? Em um momento em que um dos principais problemas sociais a ser enfrentado no país é o da segurança pública, um estudo aprofundado sobre a problemática da “profissão policial”, focalizando o processo de formação profissional do policial, não só é necessário na literatura sociológica sobre polícia, mas pode preencher uma lacuna que pode ter implicações importantes para uma política pública na área da segurança no Brasil.