Representações Sociais: Portfólio e Avaliação Educacional

Ref: 978-65-250-0431-0

Esta obra traz o relato de uma pesquisa que investigou as representações sociais de alunos de cursos de licenciatura sobre a avaliação da aprendizagem a partir do uso do Portfólio como instrumento avaliativo. Em outros termos, procurou-se verificar se o uso do Portfólio por esses alunos vem modificando a forma de pensar a avaliação no âmbito da formação de educadores.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 75,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-0431-0


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 28/06/2021


Número de páginas: 231


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Vania Maria de Oliveira Vieira.

2. Clarilza Prado de Sousa.

Esta obra traz o relato de uma pesquisa que investigou as representações sociais de alunos de cursos de licenciatura sobre a avaliação da aprendizagem a partir do uso do Portfólio como instrumento avaliativo. Em outros termos, procurou-se verificar se o uso do Portfólio por esses alunos vem modificando a forma de pensar a avaliação no âmbito da formação de educadores. O referencial teórico do trabalho foi alicerçado principalmente em autores do campo da avaliação educacional e nos fundamentos da Teoria das Representações Sociais explicitada por Moscovici, Jodelet, Sá e outros. Como suporte, foram utilizados os programas – EVOC e Alceste – que permitiram a realização de análises específicas. Os resultados da análise dos dados, de maneira geral, permitiram identificar três grupos de representações: as que apresentam aprovação a uma avaliação realizada por Portfólio; as que desaprovam a avaliação realizada por Portfólio e as que aprovam o Portfólio, mas com ressalva. O primeiro grupo, a maioria dos alunos pesquisados, aprova o Portfólio como instrumento avaliativo e considera-o uma forma de minimizar avaliações que punem, excluem e selecionam. O segundo grupo, a minoria, não acredita nessa forma de avaliar. E o terceiro grupo, com representabilidade menor do que o primeiro e maior do que o segundo, apoia o Portfólio como instrumento avaliativo, mas apresenta restrições. As conclusões indicaram que, embora não se possa afirmar que exista da parte dos participantes uma identificação com essa forma de avaliação, observa-se uma compreensão de suas intenções e uma aceitação de seus propósitos. Tais resultados permitem considerar a necessidade de aprofundar argumentos no sentido de favorecer os processos de ancoragem que irão facilitar não somente a aceitação do Portfólio, mas também sua possível utilização futura quando esses alunos desenvolverem sua prática como professores.