Educação Infantil: O que Dizem e como são Entendidas as Crianças

Ref: 978-65-250-0115-9

Este livro retrata a minha trajetória acadêmica, em especial, pela educação infantil, o que constituiu em uma profunda investigação a partir do que dizem, quando dizem, por que dizem e como dizem, no que se entrelaçam, diferentes aspectos importantes sobre a dialogicidade e alteridade da criança.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 44,00 R$ 30,80 30% off
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-0115-9


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 23/06/2021


Número de páginas: 95


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Vanilza Jordão Silva.

Este livro retrata a minha trajetória acadêmica, em especial, pela educação infantil, o que constituiu em uma profunda investigação a partir do que dizem, quando dizem, por que dizem e como dizem, no que se entrelaçam, diferentes aspectos importantes sobre a dialogicidade e alteridade da criança. Nesse movimento, foram construídos textos que favorecem diálogos e abordagens, como por exemplo: de onde vem e para onde foi a investigação; interlocução como o movimento proativo na educação infantil; a interlocução entre a criança e o adulto em ambiente de educação infantil; expressão oral e entendimento entre crianças e adultos; expressão oral e descontinuidade no discurso entre crianças e adultos; o que discutem os processos pedagógicos e o funcionamento da linguagem nos diversos tipos de discurso: o lúdico, o polêmico e o autoritário face às experiências infantis da vida cotidiana. Nisto consiste o interesse deste livro para professores e pesquisadores: uma reflexão acerca de conceitos como alteridade, responsividade e ressonância dialógica com base no contexto da educação infantil. Sob a ótica do público, em geral, faço um destaque por sedimentar subsídios que é caro pensar, também, sobre a educação da infância, sem perder de vista o processo de desenvolvimento e aprendizado que lhe são próprias, ou seja, respeitando-se fundamentalmente o tempo único de ser criança.