Selvagens & Baderneiros: Representações e Subjetivação do Punk no Correio Braziliense (1990-2014)

Ref: 978-65-250-0734-2

Selvagens & Baderneiros: representações e subjetivação do punk no Correio Braziliense (1990-2014) é uma análise histórica de processos de constituição de subjetividades delineadas a partir de representações de sujeitos e comunidade punk no discurso do jornal Correio Braziliense.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 66,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 23,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-0734-2


ISBN Digital: 978-65-250-0787-8


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 26/07/2021


Número de páginas: 199


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Moacir Oliveira de Alcântara.

Selvagens & Baderneiros: representações e subjetivação do punk no Correio Braziliense (1990-2014) é uma análise histórica de processos de constituição de subjetividades delineadas a partir de representações de sujeitos e comunidade punk no discurso do jornal Correio Braziliense. Apoiando-se em uma abordagem discursiva das representações, perspectiva baseada em estudos de Michel Foucault e Stuart Hall, o livro é focado em um conjunto de reportagens, notícias e notas jornalísticas que assinala a historicidade das formas de ver e de se falar dos punks na mídia nas últimas décadas, desvelando e desconstruindo os sentidos e significados de enunciados que difundem e reforçam culturalmente, sobretudo, estereótipos acerca do movimento punk. A desnaturalização de imagens nas quais o punk aparece associado a cenários e adjetivações que remetem à violência, à selvageria, à criminalidade, ao vandalismo, à delinquência e à baderna é um dos escopos centrais desta obra, que, nesse percurso, atenta para as condições de produção, funções e finalidades dessas representações que orientam, discipli- nam e regulam comportamentos, relações sociais e o próprio sujeito punk que escapa à lógica normativa/capitalista das identidades. É uma análise que visa a propiciar a compreensão de certas tecnologias ou pedagogias sociais que incidem sobre as subjetividades e operam não sem resistências, refletindo interesses, valores, normas e posicionamentos daqueles que falam sobre o punk no diário analisado. Destina-se, pois, tanto a pesquisadores dos processos de produção de sentidos e efeitos de subjetivação nos media quanto ao público em geral interessado na temática do punk.