A Educação de Valentina e Arthur: O Cenário de uma Política Municipal de Accountability

Ref: 978-65-250-0853-0

O livro A educação de Valentina e Arthur: o cenário de uma política municipal de accountability analisa a política de responsabilização no âmbito de uma gestão municipal num momento em que, no cenário brasileiro, os congressistas legitimam, pelo Novo Fundeb, o repasse de recursos financeiros às escolas, em partes, vinculados aos resultados em índices oficiais.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 44,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 19,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-0853-0


ISBN Digital: 978-65-250-0858-5


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 02/08/2021


Número de páginas: 149


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Marcos Oliveira Santos.

O livro A educação de Valentina e Arthur: o cenário de uma política municipal de accountability analisa a política de responsabilização no âmbito de uma gestão municipal num momento em que, no cenário brasileiro, os congressistas legitimam, pelo Novo Fundeb, o repasse de recursos financeiros às escolas, em partes, vinculados aos resultados em índices oficiais.
No contexto apresentado neste livro, as investigações se deram sobre as ações de monitoramento e de gestão das avaliações externas e do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) estabelecidos pela gestão pública em escolas de uma rede municipal de ensino. Buscou-se identificar como os tipos de monitoramentos foram (ou estão sendo) consolidados a partir dos resultados dessas avaliações em larga escala, a sua relação com a aplicação de parte dos recursos e como essas ações podem constituir-se como elemento de pressão social e política para a classe trabalhadora, além de interferir no processo democrático da comunidade escolar.
Embora apareçam, naturalmente, os aspectos mais específicos no campo empírico investigado, a análise supera a aparência imediata da realidade, desvelando os aspectos mais gerais das concepções gerenciais presentes na administração pública analisada no livro, despontando o crescente alinhamento ao que a literatura denomina de neoliberalismo global, que, no caso brasileiro, tem marco decisivo na reforma administrativa do aparelho do Estado, iniciada nos anos de 1990.
É uma discussão oportuna para explicitar as implicações à qualidade da educação pública quando amparada em políticas de resultados e de responsabilização (accountability), gerando reflexões a respeito da necessidade de se buscar caminhos para um sistema educacional verdadeiramente universal, gratuito e com qualidade social. É o que esperam, de fato, Valentina e Arthur.