Olhares Carnavalizados: O Discurso Verbal e Não Verbal no Grito das Ruas

Ref: 978-65-250-1625-2

O livro Olhares carnavalizados: o discurso verbal e não verbal no grito das ruas passeia pelas manifestações sociais urbanas em três países — Argentina, Brasil e Espanha — com objetivo de percorrer o registro das marchas nas ruas e avenidas para, no meio dos protestos, encontrar o sujeito-manifestante e desvelar os discursos utilizados nas suas reivindicações. Na busca pelo sujeito-manifestante, são as máscaras, representadas em diferentes artefatos utilizados durante as marchas — como bandeiras e cartazes — que caracterizam o indivíduo como tal.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 74,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1625-2


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 29/10/2021


Número de páginas: 173


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Andrea Galvão de Carvalho.

O livro Olhares carnavalizados: o discurso verbal e não verbal no grito das ruas passeia pelas manifestações sociais urbanas em três países — Argentina, Brasil e Espanha — com objetivo de percorrer o registro das marchas nas ruas e avenidas para, no meio dos protestos, encontrar o sujeito-manifestante e desvelar os discursos utilizados nas suas reivindicações. Na busca pelo sujeito-manifestante, são as máscaras, representadas em diferentes artefatos utilizados durante as marchas — como bandeiras e cartazes — que caracterizam o indivíduo como tal.

No caminho das condições de produção das marchas nos três países, a autora revisita os momentos sócio-históricos e políticos que acabaram por originar as manifestações em um recorte temporal que abarca os anos de 2012 e 2013. Nesse percurso, encontra nas redes sociais as primeiras convocações para os protestos que, posteriormente, materializam-se nas ruas, praças e avenidas. Eram as postagens nas redes sociais que convocavam os manifestantes para ocuparem o espaço urbano com suas reivindicações.

Das redes sociais para o espaço citadino, o livro nos apresenta as diferentes formas que os sujeitos-manifestantes usam para se expressarem e que efeitos de sentido são instituídos nos inúmeros e diversificados enunciados propagados nas marchas. Nesse processo, busca-se pensar o espaço do riso nas manifestações e como o conceito de carnavalização, proposto por Bakhtin, apresenta-se no contexto dos protestos. São analisados registros fotográficos selecionados em sites da imprensa formal e alternativa, visando a examinar o sentido do verbal e do não verbal na diversidade de imagens e vozes que ocupam as ruas.

São três países, inúmeras memórias e incontáveis discursos compondo um estudo que entende cada prática discursiva presente nas manifestações como única e coletiva ao mesmo tempo. E, por fim, permite que cada leitor, então, signifique cada momento registrado.

Gracias a la vida que me ha dado tanto.