O Sentido Ético da Promoção de Saúde Mental

Ref: 978-65-250-1407-4

É legitimo supor que o tema saúde mental está na pauta das reflexões mais atuais e atuantes. O sentido ético da promoção de saúde comprova que muitos atores que trabalham com pessoas promovem saúde e bem-estar, mesmo que não tendo ciência de que estão a fazê-la.A mestra Thyale mostra, neste livro, que as atitudes dos profissionais que labutam no Nasf apresentam as atitudes próprias da melhora na qualidade de vida dos assistidos.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1407-4


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 29/10/2021


Número de páginas: 123


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Thyale de Vasconcelos Velozo.

É legitimo supor que o tema saúde mental está na pauta das reflexões mais atuais e atuantes. O sentido ético da promoção de saúde comprova que muitos atores que trabalham com pessoas promovem saúde e bem-estar, mesmo que não tendo ciência de que estão a fazê-la.
A mestra Thyale mostra, neste livro, que as atitudes dos profissionais que labutam no Nasf apresentam as atitudes próprias da melhora na qualidade de vida dos assistidos.
“O Núcleo de Apoio a Saúde da Família – NASF vislumbra um trabalho de atenção e promoção a saúde corroborando com a qualidade de vida e bem-estar do indivíduo e sua relação social, fazendo parte da rede de atenção Básica de Saúde” (Velozo, 2021)
Assim expressa a autora:
Por acreditar que somente o profissional em lócus é que pode dizer o que precisa, como percebe os desafios e as condições para o realizar de seu exercício, para a partir disso tentar buscar chegar a modificações de percursos, saberes e práxis, usar os protocolos como meio e não como fim, e essa postura alcançar os usuários e comunidade, é que configuramos nossa proposta de estudo tendo esse profissional como epicentro. (Velozo, 2021)
E, ainda...
O trabalho está estruturado em quatro capítulos seguidos de algumas considerações finais, onde respondi as perguntas disparadoras tais como: Quais modelos epistemológicos têm servido de embasamento para a prática dos profissionais? Será que o Nasf tem atendido aos objetivos a que se propõe na dimensão da Promoção? A eficácia ou não do serviço se resume na Política ou na leitura que se faz dela? O que a própria equipe desse núcleo pensa e sente sobre essas indagações? Quais as suas angústias, diante das suas práticas? E por fim, a construção de uma Sistematização da Rede Municipal de Atenção Básica enfatizando o papel do Nasf diante das demandas recebidas, que em nosso entendimento pode contribuir para melhoria da qualificação dos profissionais envolvidos na pesquisa e dos serviços prestados aos usuários. (Velozo, 2021)