Sevilha no Imaginário Poético de João Cabral de Melo Neto

Ref: 978-65-250-1771-6

Este livro lança uma nova leitura sobre a presença de Sevilha nos poemas de João Cabral de Melo Neto com base no estudo da obra poética Sevilha andando (1989), dividida em duas partes, “Sevilha andando” e “Andando Sevilha”. O livro focaliza a segunda parte, “Andando Sevilha”, ainda pouco estudada, cujos poemas sobre a arquitetura, as manifestações culturais sevilhanas, incluindo a religião, integram a linhagem de assuntos populares desenvolvidos por João Cabral sobre Sevilha e que caracterizam a mulher da primeira parte do livro, “Sevilha andando”.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-1771-6


Edição:


Ano da edição: 2021


Data de publicação: 18/11/2021


Número de páginas: 163


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Gislaine Goulart dos Santos.

Este livro lança uma nova leitura sobre a presença de Sevilha nos poemas de João Cabral de Melo Neto com base no estudo da obra poética Sevilha andando (1989), dividida em duas partes, “Sevilha andando” e “Andando Sevilha”. O livro focaliza a segunda parte, “Andando Sevilha”, ainda pouco estudada, cujos poemas sobre a arquitetura, as manifestações culturais sevilhanas, incluindo a religião, integram a linhagem de assuntos populares desenvolvidos por João Cabral sobre Sevilha e que caracterizam a mulher da primeira parte do livro, “Sevilha andando”. Sevilha andando representa o projeto poético e ético de João Cabral ao retratar Sevilha em seus poemas como uma expressão humana. A religião, tema incontornável da cultura ibérica por estar presente na história, na cultura, nas tradições e nos monumentos sevilhanos, apresenta duas abordagens nos poemas de “Andando Sevilha”. Na primeira, a religião no poema “Semana Santa” é retratada em torno dos aspectos populares, coletivos e de união, por vivificar os laços sociais; na segunda, João Cabral aborda o aspecto doutrinador da religião ao descrever as atitudes dos padres de Sevilha, irrelevantes à ordem social coletiva, nos poemas “O asilo dos velhos sacerdotes” e “Padres sem paróquia”. Sevilha no imaginário poético de João Cabral de Melo Neto possibilita conhecer o percurso biográfico e vincular o processo de formação literária e a concepção de poesia de João Cabral ao convívio com artistas e escritores na Espanha, o estudo sistemático da literatura espanhola e a sua presença em Sevilha.