Design de Brinquedos: Ressignificando Trajetórias

Ref: 978-65-250-2020-4

O pensamento em design constrói objetos que vão muito além das suas formas e cores, transmitindo uma linguagem que perpassa por valores simbólicos e emotivos. O mundo que nos cerca, os objetos que portamos, as nossas preferências de consumo e estilo de vida, tudo traduz o indivíduo que queremos ser e mostrar socialmente. Portanto, assume-se uma identidade que o faça sentir-se percebido e aceito por meio desses objetos (SUDJIC, 2010).


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 47,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 18,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-2020-4


ISBN Digital: 978-65-250-2067-9


Edição:


Ano da edição: 2022


Data de publicação: 14/01/2022


Número de páginas: 153


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Clara Santana Lins Cerqueira.

O pensamento em design constrói objetos que vão muito além das suas formas e cores, transmitindo uma linguagem que perpassa por valores simbólicos e emotivos. O mundo que nos cerca, os objetos que portamos, as nossas preferências de consumo e estilo de vida, tudo traduz o indivíduo que queremos ser e mostrar socialmente. Portanto, assume-se uma identidade que o faça sentir-se percebido e aceito por meio desses objetos (SUDJIC, 2010).

No universo infantil essa lógica é perceptível da mesma maneira. As crianças portam diversos objetos no dia a dia que intencionam dialogar com o mundo que a cerca, sobre sua personalidade individual e gostos. O brinquedo tem o papel não somente de promover a brincadeira, pode, ainda, seguir funções mais práticas, como funções educativas e transpor as experiências do mundo imaginativo da criança para o mundo real. Por isso, essa fase é permeada por uma intensa transmissão e absorção de símbolos e valores. Dessa forma, o seu desenvolvimento depende significativamente da maneira como ela cria as suas histórias imagéticas, como interage com as outras crianças, como soluciona problemas e vence desafios por meio dos brinquedos (PIAGET, 2017).

A maioria dos brinquedos é estereotipado e acaba por transmitir valores superficiais e estéticos que podem induzir preconceitos, logo, a exclusão. As bonecas Barbies já foram um exemplo clássico de uma valorização exacerbada de estereótipos que cultuavam mulheres de olhos azuis, corpos magros, cabelos longos, lisos e loiros. Hoje, a Mattel, empresa fabricante, lança novas Barbies que têm vários formatos de corpo, novas cores, formas de pele e cabelo. Usando novos elementos, a ressignificação pode construir artefatos que tencionem promover a melhoria na autoestima das crianças com deficiências e que dialoguem com a diversidade existente entre elas.

Assim, percebemos que o design tem papel fundamental na construção desse imaginário e que ele pode ser utilizado para promover a inclusão social. Esta obra, portanto, intenciona perceber o design como ferramenta poderosa de diálogo para o discurso inclusivo, entendendo como a sua utilização pode auxiliar na promoção da inclusão social de crianças com deficiência por meio da ressignificação de brinquedos infantis.