Religiosidade e Mística no Movimento de Mulheres Agricultoras

Ref: 978-65-250-1760-0

O livro Religiosidade e mística no Movimento de Mulheres Agricultoras: um processo de constituição de identidades por meio da Educação Popular analisa os efeitos da religiosidade e da mística na constituição de identidades femininas e as possibilidades de emancipação das mulheres a partir da sua participação no Movimento de Mulheres Agricultoras. A autora reflete sobre uma experiência de Educação Popular que apresenta em sua constituição identitária aspectos sociais e culturais submetidos aos impactos e aos efeitos da religiosidade em seu modo de vida e no cotidiano de suas ações.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 49,00
ADICIONAR 
AO carrinho

Versão digital
R$ 19,00

Nossos eBooks estão no formato ePub, o mais aceito nos variados aparelhos nos quais se podem ler livros digitais: eReaders, Smartphones, iPads, iPhones e PCs (este último por meio do Adobe Digital Editions). Os livros podem ser comprados via download nas seguintes livrarias online:

- Amazon (formato Mobi disponível para Kindle)

- Google Play Livros

- Apple Books

- Cultura/Kobo

ISBN: 978-65-250-1760-0


ISBN Digital: 978-65-250-1755-6


Edição:


Ano da edição: 2022


Data de publicação: 15/02/2022


Número de páginas: 177


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Liria Ângela Andrioli.

O livro Religiosidade e mística no Movimento de Mulheres Agricultoras: um processo de constituição de identidades por meio da Educação Popular analisa os efeitos da religiosidade e da mística na constituição de identidades femininas e as possibilidades de emancipação das mulheres a partir da sua participação no Movimento de Mulheres Agricultoras. A autora reflete sobre uma experiência de Educação Popular que apresenta em sua constituição identitária aspectos sociais e culturais submetidos aos impactos e aos efeitos da religiosidade em seu modo de vida e no cotidiano de suas ações. A obra evidencia a religião como estrutura e a religiosidade como vivência da fé e da mística como ferramentas disponíveis em nossa sociedade. Elas contribuem, ao mesmo tempo, para manter e reproduzir as desigualdades entre homens e mulheres, mas também se constituem como mecanismos de mudança para uma condição mais igualitária nas relações de gênero, a exemplo dos movimentos sociais. Infere-se que a mística transforma e empodera as mulheres em movimento e que o envolvimento eclesial com a base foi fundamental para a pastoral libertadora. Por sua linguagem marcante, esta leitura torna-se uma importante fonte de contribuição para as Epistemologias Feministas e para a Educação Popular.