A “Arte de Sujar os Sapatos” com a Grande Reportagem Social

Ref: 978-65-250-2389-2

A “arte de sujar os sapatos”, assim chamada por Humberto Werneck, a partir de uma expressão do jornalista Ricardo Kotscho, é a arte de sair à rua na busca por histórias, e deveria sempre ser a arte do encontro entre repórter e vidas anônimas, por meio da imersão que alcança seu ápice na grande reportagem. O gênero jornalístico caracterizado pelo longo tempo de contato com o Outro e pela dedicação ao texto é investigado neste livro, que contempla trabalhos protagonizados por quem, muitas vezes, é tomado como “invisível”.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-65-250-2389-2


Edição:


Ano da edição: 2022


Data de publicação: 07/04/2022


Número de páginas: 229


Encadernação: Brochura


Peso: 300 gramas


Largura: 16 cm


Comprimento: 23 cm


Altura: 2 cm


1. Luiza Gould de Souza.

A “arte de sujar os sapatos”, assim chamada por Humberto Werneck, a partir de uma expressão do jornalista Ricardo Kotscho, é a arte de sair à rua na busca por histórias, e deveria sempre ser a arte do encontro entre repórter e vidas anônimas, por meio da imersão que alcança seu ápice na grande reportagem. O gênero jornalístico caracterizado pelo longo tempo de contato com o Outro e pela dedicação ao texto é investigado neste livro, que contempla trabalhos protagonizados por quem, muitas vezes, é tomado como “invisível”. A cegueira coletiva e consciente também é instituída pela mídia quando critérios de noticiabilidade excluem e quando palavras encarceram identidades. Será que, na grande reportagem, os discursos construídos acerca dos marginalizados sociais permitem conhecê-los em sua alteridade? A pergunta leva à análise de cinco imersões vencedoras do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.
Este livro é uma versão revista e atualizada da dissertação ganhadora do Prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo 2021, na categoria “trabalho de mestrado”. A premiação é concedida anualmente pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor).