Do Sofrimento Coletivo à Clínica da Identidade

Ref: 978-85-473-0345-7

Do sofrimento coletivo à clinica da identidade traz aos leitores uma dedicada pesquisa sobre uma vila tombada pelo patrimônio histórico, palco de incidência significativa de transtornos do pânico, depressão e casos de suicídio. Simone Jörg revela, com embasamentos do campo da psicologia social – vertente interdisciplinar de conhecimento que faz interface com a história, a sociologia, a filosofia, a geografia, o direito, o serviço social, a psiquiatria, a psicanálise etc. –, o processo de construção de identidade de seus moradores, com sentido emancipatório.


Calcule o frete

Opções de entrega:

Versão impressa
R$ 52,00
ADICIONAR 
AO carrinho

ISBN: 978-85-473-0345-7


Edição: 1


Ano da edição: 2017


Data de publicação: 00/00/0000


Número de páginas: 217


Peso: 200 gramas


Largura: 14.8 cm


Comprimento: 21 cm


Altura: 2 cm


1. Simone Jörg.

Do sofrimento coletivo à clinica da identidade traz aos leitores uma dedicada pesquisa sobre uma vila tombada pelo patrimônio histórico, palco de incidência significativa de transtornos do pânico, depressão e casos de suicídio. Simone Jörg revela, com embasamentos do campo da psicologia social – vertente interdisciplinar de conhecimento que faz interface com a história, a sociologia, a filosofia, a geografia, o direito, o serviço social, a psiquiatria, a psicanálise etc. –, o processo de construção de identidade de seus moradores, com sentido emancipatório.

Para atender aos objetivos da pesquisa, a autora elaborou três análises: a primeira, indicada como percurso histórico, refere-se aos aspectos geográficos, econômicos, históricos e sociais da vila, com base em estudos acadêmicos desenvolvidos na região e em literatura pertinente.

A segunda análise, referente ao percurso teórico-empírico, trata da proposta de construção do novo projeto de identidade de uma vila turística, com possíveis desdobramentos para a construção de novos referenciais para os moradores da vila.

A terceira, fundamentada na proposta teórica de Antonio da Costa Ciampa e corroborada por autores da literatura especializada da área, articula-se com dados empíricos, completando a análise da clínica da identidade.

Retratando de forma empática o sofrimento e inúmeros sentimentos humanos, esta obra apresenta-se como leitura essencial a todos os profissionais da assistência social, da área de saúde pública e mental, da área de humanas e ciências sociais, aos políticos e professores universitários das respectivas áreas e a todos aqueles profissionais e seres “incomuns” que se indignam e lutam contra a atitude de impostura frente ao sofrer humano.